PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Cotações

Bovespa vira e fecha em alta de 1,34%; Vale salta 10% e Petrobras, 9%

Do UOL, em São Paulo

16/03/2016 17h42Atualizada em 16/03/2016 19h16

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, operou a maior parte do dia no vermelho, mas virou no final da tarde e fechou esta quarta-feira (16) em alta de 1,34%, a 47.763,43 pontos.

Com isso, a Bovespa volta a subir após duas quedas seguidas. Na véspera, havia caído 3,56%,a maior perda percentual diária desde 2 de fevereiro.

O dia foi marcado pelo noticiário político, com a chegada de Lula ao governo e uma possível troca de comando no Banco Central (leia mais abaixo).

A alta de hoje foi puxada, principalmente, pelo desempenho positivo das ações da Petrobras, do Banco do Brasil, da mineradora Vale e das siderúrgicas. 

Lula na Casa Civil e possível troca no BC

No final da manhã, foi divulgada a notícia de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aceitou assumir o Ministério da Casa Civil. Com a chegada de Lula, investidores temem que o governo possa promover fortes mudanças na política econômica.

Somaram-se a isso rumores de que o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, pode deixar o cargo e especulações sobre quem seria o eventual substituto. O nome do ex-presidente do BC Henrique Meirelles, que o mercado vê como mais positivo, voltou a ser bastante comentado.

A coluna Radar da revista “Veja” chegou a publicar nota afirmando que Lula fez o convite a Meirelles. Em discurso à tarde, Dilma negou a troca de comando no BC.

"O mercado está muito volátil e guiado pelo noticiário. Não descartamos mudanças súbitas de direção [do câmbio] no caso de novos acontecimentos, algo que não é difícil de encontrar no Brasil hoje em dia", escreveram estrategistas do banco BNP Paribas em nota a clientes.

Vale e siderúrgicas saltam

Após desabarem na sessão anterior, as siderúrgicas tiveram forte alta hoje. A Vale também saltou no dia.

As ações ordinárias da Vale (VALE3), com direito a voto em assembleia, subiram 9,94%, a R$ 14,82. Já ações preferenciais da Vale (VALE5) avançaram 8,88%, a R$ 10,55.

As ações da Usiminas (USIM5) subiram 10,90%, a R$ 1,73, e as da CNS (CSNA3) avançaram 10,54%, a R$ 6,71.

As ações da Gerdau (GGBR4) ganharam 5,26%, a R$ 5, enquanto as da Gerdau Metalúrgica (GOAU4) se valorizaram 7,98%, a R$ 1,76.

Os papéis dessas empresas foram puxados pela alta dos preços do minério de ferro na China.

Petrobras ganha 9%

Após tombar mais de 10% na véspera, a Petrobras terminou o dia com valorização.

As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) ganharam 9,38%, a R$ 7,23, e as ações ordinárias da Petrobras (PETR3) tiveram alta de 7,74%, a R$ 9,60.

Os ADRs (recibos que representam ações de uma empresa estrangeira na Bolsa de Nova York) da petroleira fecharam com alta de 8,83%.

Os papéis foram influenciados pelo noticiário político e pela alta dos preços do petróleo no mercado internacional

BB sobe; Itaú e Bradesco caem

As ações do Banco do Brasil (BBAS3), que desabaram 21,17% na véspera, voltaram a fechar no azul. Os papéis do banco subiram 3,37%, a R$ 18,09.

No sentido oposto, as ações do Bradesco (BBDC4) caíram 2,22%, a R$ 24,64, e as ações do Itaú Unibanco (ITUB4) recuaram 2,96%, a R$ 29,84.

Dólar cai 0,63%, a R$ 3,739

No mercado de câmbio, o dólar comercial chegou a cair quase 2% durante o dia, mas mudou de sentido e fechou em queda de 0,63%, a R$ 3,739 na venda, após duas altas seguidas. 

Na véspera, o dólar havia avançado 3,03%, maior alta percentual diária desde 13 de outubro de 2015.

Bolsas internacionais

As Bolsas de Valores da Europa terminaram o dia divididas: dos seis principais mercados, três fecharam em alta e três caíram.

  • Portugal: +2,15%;
  • Inglaterra: +0,58;
  • Alemanha: +0,50%;
  • Itália: -0,18%;
  • França: -0,22%;
  • Espanha: -0,28 %

A maioria das Bolsas da Ásia e do Pacífico fechou o dia com saldo positivo. Os mercados do Japão e de Hong Kong tiveram baixa.

  • Taiwan: +1,02%;
  • Coreia do Sul: +0,25%;
  • China: +0,21%;
  • Cingapura: +0,17%;
  • Austrália: +0,15%;
  • Hong Kong: -0,15%;
  • Japão: -0,83%

(Com Reuters)

Cotações