PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Cotações

Dólar fecha em queda, a R$ 3,621, com ação do BC e de olho em juros nos EUA

Do UOL, em São Paulo

30/03/2016 17h14Atualizada em 30/03/2016 17h14

dólar comercial fechou esta quarta-feira (30) em queda de 0,47%, cotado a R$ 3,621 na venda. Na véspera, a moeda norte-americana havia subido 0,34%.

Com isso, o dólar acumula desvalorização de 9,56% no mês e de 8,29% no ano.

Crise política

Investidores continuavam atentos ao cenário político brasileiro.

Pesquisa Ibope encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e divulgada hoje aponta que 69% dos brasileiros avaliam o governo da presidente Dilma Rousseff como ruim ou péssimo.

O mercado também avaliava a possibilidade de o PP sair ou não da base aliada do governo. A decisão deve ser tomada em uma convenção marcada para um dia antes ou depois da entrega do parecer da comissão que avalia o impeachment na Câmara. Pelos cálculos do próprio partido, isso deve acontecer entre os dias 11 e 12 de abril.

A debandada da base aliada pode aumentar as chances de aprovação de impeachment da presidente. Alguns operadores veem a saída de Dilma do Palácio do Planalto como um passo para a recuperação da economia brasileira, enquanto outros ressaltam que as turbulências políticas tendem a dificultar o ajuste econômico.

Atuação do BC

O Banco Central voltou a atuar no mercado de câmbio nesta sessão, com a venda de apenas 2.700 contratos de swap reverso, equivalentes à compra futura de dólares.

A estratégia do BC vem confundindo alguns operadores. Alguns especulam que o objetivo seja evitar que o dólar caia muito, para proteger exportadores e, assim, as contas externas do país.

"Não dá para entender muito bem as intenções do BC; então, o mercado vai continuar testando [cotações mais baixas]", disse o operador de um banco internacional à agência de notícias Reuters.

Juros nos EUA

A queda do dólar vinha ainda em sintonia com os mercados externos, onde continuavam repercutindo declarações da véspera feitas pela presidente do Federal Reserve, Janet Yellen. Ela disse que o banco central dos EUA deve adotar cautela para elevar os juros. 

Se os EUA demorarem para subir os juros novamente, isso pode beneficiar países emergentes, como o Brasil, que oferecem rendimentos financeiros elevados. Uma alta de juros poderia atrair para lá recursos atualmente nesses mercados mais arriscados.

Mais sobre Bolsa e dólar

  • UOL

    Direto da Bolsa

    Dólar e Bolsa são influenciados pelas notícias do dia. Leia os destaques de hoje aqui

  • Thinkstock

    UOL Invest

    O simulador de Bolsa UOL Invest é grátis e permite que você aprenda como investir e concorra a tablets e passagens aéreas. Acesse por computador e tablet (clique nesta mensagem) ou celular (digite ou copie: uolinvest.economia.uol.com.br)

  • Alex Almeida/Folhapress

    Consulte suas ações

    Quer saber o preço de suas ações preferidas? Consulte o UOL Cotações, veja gráficos no formato que quiser, desempenho no dia e histórico de 1 ano. Acesse por computador e tablet (clique nesta mensagem) ou celular (digite ou copie: http://uol.com/bfdNjz)

  • Shutterstock

    Histórico do dólar

    Precisa saber quanto estava custando o dólar, o euro, o peso argentino um tempo atrás? Veja o histórico do UOL Cotações de até 1 ano para as principais moedas do mundo. Acesse grátis por computador e tablet (clique nesta mensagem) ou celular (digite ou copie: http://uol.com/bwdPmd)

 

Cotações