Bolsas

Câmbio

Bolsa sobe 1% e emenda 5ª alta; ações da Oi despencam mais de 18%

Do UOL, em São Paulo

Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira fechou esta terça-feira (21) em alta de 1,01%, a 50.837,80 pontos. É o quinto avanço seguido da Bovespa. Na véspera, a Bolsa havia subido 1,61%.

Com isso, a Bolsa acumula valorização de 4,88% no mês e de 17,27% no ano.

A alta de hoje foi puxada, principalmente, pelo desempenho positivo das ações Petrobras, que subiram 3,8%. 

Fora do Ibovespa, as ações da Oi (OIBR4) despencaram mais de 18%. Na noite da véspera, a operadora entrou com pedido de recuperação judicial, com dívidas de R$ 65 bilhões. 

Dólar sobe 0,2%, a R$ 3,406

No mercado de câmbio, o dólar comercial fechou em alta de 0,2%, a R$ 3,406 na venda, após duas quedas seguidas.

Na véspera, a moeda norte-americana havia caído 0,61%.

Petrobras ganha 3,8%

As ações preferenciais da Petrobras (PETR4), que dão prioridade na distribuição de dividendos, avançaram 3,81%, a R$ 9,53.

As ações ordinárias (PETR3), com direito a voto em assembleia, ganharam 1,79%, a R$ 11,94.

Os papéis da estatal foram influenciados pelos preços do petróleo, que reduziram perdas no exterior. 

BB perde 4,46%; Bradesco sobe

As ações do Banco do Brasil (BBAS3) caíram 4,46%, a R$ 15,85, maior queda do Ibovespa. A decisão do grupo de telecomunicações Oi de buscar proteção judicial contra credores anunciada na véspera vai pesar sobre reservas de bancos para perdas com empréstimos, segundo analistas do Credit Suisse.

Já o presidente da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), Murilo Portugal Filho, declarou hoje que a recuperação não deve afetar as instituições.

As ações do Bradesco (BBDC4) tiveram alta de 1,18%, a R$ 24,90, e as ações do Itaú Unibanco (ITUB4) fecharam quase estáveis, com leve queda de 0,03%, a R$ 29,39. 

Oi desaba 18%

As ações ordinárias da Oi (OIBR3) fecharam em queda de 8,73%, a R$ 1,15, enquanto as preferenciais (OIBR4) desabaram 18,18%, a R$ 0,81. 

Os papéis, que não fazem parte do Ibovespa, acumulam queda de mais de 50% no ano.

Ontem, a empresa anunciou uma dívida de R$ 65,4 bilhões e fez o maior pedido de recuperação judicial (antiga concordata) já protocolado no Brasil.

Bolsas internacionais

As Bolsas de Valores da Europa fecharam em alta, exceto a de Portugal. 

  • França: +0,61%
  • Alemanha: +0,54%
  • Itália: +0,45%
  • Inglaterra: +0,36%
  • Espanha: +0,23%
  • Portugal: -0,72%.

A maioria das Bolsas da Ásia e do Pacífico também encerrou o dia com ganhos.

  • Japão: +1,28%
  • Hong Kong: +0,77%
  • Taiwan: +0,68%
  • Austrália: +0,33%
  • Coreia do Sul: +0,08%
  • China: -0,34%
  • Cingapura: -0,41%

Receba notícias do UOL Economia pelo WhatsApp

Quer receber notícias no seu celular sem pagar nada? Primeiro, adicione este número à agenda do seu telefone: +55 (11) 97258-8073 (não esqueça do "+55"). Depois, envie uma mensagem para este número por WhatsApp, escrevendo só: grana10

(Com Reuters)

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos