PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Cotações

Dólar sobe pelo 3º dia seguido e fecha a R$ 5,346; Bolsa cai 0,50%

Marcos Brindicci
Imagem: Marcos Brindicci

Do UOL, em São Paulo

19/01/2021 17h31Atualizada em 19/01/2021 18h35

O dólar comercial fechou hoje (19) em alta de 0,77% ante o real, cotado a R$ 5,346 na venda. É o terceiro dia seguido que o dólar se valoriza.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Ontem (18), a moeda norte-americana terminou o dia praticamente estável, em alta de 0,01% ante o real, cotado a R$ 5,305 na venda.

Já o Ibovespa, principal indicador da Bolsa de Valores brasileira, fechou em queda hoje (19). O índice caiu 0,50% aos 120.636,39 pontos.

As ações do BTG lideraram os ganhos na Bolsa, com 3% de alta. Na outra ponta, os papéis da CSN caíram 6%.

Ontem (18), o índice subiu 0,74% aos 121.241,63 pontos.

No Brasil, agentes do mercado tentam entender os próximos passos da disputa política pela Câmara e como isso poderá influenciar o mercado, com dólar e Bolsa. Candidato à presidência da Câmara, o deputado Baleia Rossi (MDB-SP) diz que o ministro da Economia, Paulo Guedes, deve fazer uma proposta de nova rodada do auxílio emergencial neste início do ano.

Segundo ele, cabe a Guedes e sua equipe apresentarem uma sugestão para que a volta do benefício seja feita dentro do teto de gastos, a regra que impede que as despesas cresçam em ritmo superior à inflação, com "responsabilidade fiscal".

O que movimentou a moeda norte-americana, porém, foram os acontecimentos no exterior. Nos EUA, a indicada pelo presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, para assumir a secretaria do Tesouro, Janet Yellen, afirmou que o país, sob gestão democrata, não vai lutar por enfraquecer sua moeda para ganhar vantagem competitiva.

"A variação do dólar e outras moedas deve ser determinada pelos mercados. Devemos nos opor a países que manipulam câmbio por vantagem competitiva", declarou Yellen aos senadores.

O mercado possui uma expectativa de que Yellen abra as torneiras de dinheiro barato para irrigar o mercado com mais liquidez em meio a crise do coronavírus (covid-19).

"O governo Biden deve dar suporte a uma política de dólar forte. Contudo, não acreditamos que os fundamentos são um apoio para o dólar forte e continuamos a esperar fraqueza adicional da moeda ao longo do ano", disseram em nota analistas do banco MUFG à Reuters.

Já na Europa, as ações europeias recuaram nesta terça-feira, pressionadas pelas ações de varejistas, de viagens e bancos, já que a possível prorrogação do lockdown em razão do coronavírus na Alemanha levantava preocupações sobre os danos aos balanços corporativos e ao crescimento econômico.

(Com Reuters)

Cotações