Dólar sobe a R$ 4,937 antes de EUA e Brasil definirem juros; Bolsa cai

O dólar emendou sua terceira alta seguida, esta de 0,15%, e fechou o dia vendido a R$ 4,937. Agora, a moeda americana acumula ganhos de 0,44% frente ao real no mês.

Já o Ibovespa caiu 0,14% e chegou aos 126.916,41 pontos. Em dezembro, o principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3) já recuou 0,33%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial (saiba mais clicando aqui). Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, a referência é o dólar turismo, e o valor é bem mais alto.

O que aconteceu

Semana traz dados econômicos importantes para o mercado. Os investidores esperam pelos dados de amanhã (12) sobre a inflação nos Estados Unidos. Os números vêm antes da decisão do Fed (Federal Reserve, o Banco Central americano), que deve manter a taxa básica de juros no intervalo entre 5,25% e 5,5%.

Números da inflação no Brasil também estão no radar. Amanhã, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) publica o IPCA de novembro. No mês anterior, a inflação ficou em 0,24%, puxada pela alta das passagens aéreas no período. O IPCA acumula alta de 4,82% de outubro de 2022 a outubro de 2023.

Investidores ainda esperam pela última reunião do Copom em 2023. Além do Fed, o Banco Central brasileiro também se reúne nesta semana para discutir a Selic. A expectativa é de que o Copom (Comitê de Política Monetária) corte os juros básicos da economia em 0.5 ponto percentual, para 11,75% ao ano.

A semana vai trazer muitos indicadores econômicos, como o IPCA, a decisão do Copom sobre a Selic e a do Fed sobre os juros nos EUA. No Brasil, devemos ter mais um corte de 0,5 ponto percentual, já que os números de inflação têm vindo muito bons. Já nos EUA, podemos esperar por uma manutenção da taxa de juros.
Fabio Louzada, economista e fundador da Eu me banco

(*Com Reuters)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes