Dólar tem 1ª queda do ano e fecha em R$ 4,907; Bolsa também cai

O dólar caiu 0,16% e fechou o dia vendido a R$ 4,907, na primeira queda frente ao real em 2024. No ano passado, a moeda americana recuou mais de 8%, registrando a maior perda anual desde 2016.

O Ibovespa também terminou o pregão em queda, esta de 1,21%, chegando aos 131.225,91 pontos. Em 2023, o principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3) disparou 22,3% e bateu seu recorde nominal histórico.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial (saiba mais clicando aqui). Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, a referência é o dólar turismo, e o valor é bem mais alto.

O que aconteceu

Mercado espera por dados do mercado de trabalho nos EUA. A expectativa é de que os números divulgados amanhã (5) mostrem a abertura de 170 mil vagas fora do setor agrícola em dezembro, segundo pesquisa da Reuters. Os dados são importantes para balizar as projeções dos investidores para os juros americanos, hoje na faixa entre 5,25% e 5,5% ao ano.

Números positivos da economia americana podem favorecer o real. Sinais de que o mercado de trabalho dos EUA segue resiliente podem fazer com que o Fed (Federal Reserve) comece a reduzir os juros em breve. De maneira geral, taxas mais baixas nos EUA motivam investidores a redirecionar seus recursos para moedas mais arriscadas, porém mais rentáveis, como o real.

Em paralelo, seguem no radar as tensões no Oriente Médio. Na terça-feira (2), Israel matou o número 2 do Hamas, Saleh al-Arouri, em um ataque de drone no Líbano. A ofensiva aumenta o risco de a guerra em Gaza se espalhar para muito além do território palestino, o que pode afetar a economia global.

O Ibovespa subiu no final de dezembro de forma bastante forte. (...) [Mas] Janeiro é um mês que não tem tanta liquidez, os mercados ainda estão entendendo o que está acontecendo. É importante olhar para esses conflitos entre Rússia e Ucrânia e Israel e Hamas.
Dierson Richetti, sócio da GT Capital

(*Com AFP e Reuters)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes