Desemprego vai a 6,9% em dezembro, o maior para o mês em 8 anos, diz IBGE

Do UOL, no Rio de Janeiro

Em dezembro do ano passado, o desemprego foi de 6,9%. Apesar de ter caído em comparação com novembro, quando foi de 7,5%, a taxa foi a maior para o mês desde 2007, quando tinha sido de 7,4%.

De janeiro a dezembro de 2015, o desemprego no Brasil teve média de 6,8%. Em 2014, a média tinha sido de 4,8%. O aumento de 2 pontos percentuais entre os anos foi o maior registrado na série histórica, que começou em 2003.

A média de pessoas desempregadas no ano passado foi de 1,7 milhão, 42,5% maior que a de 2014 (1,2 milhão).

A média da população com trabalho foi estimada em 23,3 milhões de pessoas, caindo 1,6% em relação a 2014, quando era de 23,7 milhões de pessoas. Em 2014, essa população havia retraído pela primeira vez (-0,1%) em toda a série anual.

Os números foram divulgados nesta quinta-feira (28) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e fazem parte da PME (Pesquisa Mensal de Emprego), que é baseada nos dados das regiões metropolitanas de Recife, Belo Horizonte, São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Na semana passada, o Ministério do Trabalho divulgou outros dados sobre emprego, mas se referiam a trabalhadores com carteira assinada (foram fechadas 1,5 milhão de vagas com carteira em 2015).

A pesquisa divulgada hoje pelo IBGE é diferente, inclui todos os trabalhadores, com ou sem carteira assinada. Além disso, os dois levantamentos usam métodos diversos.

Renda cai

Em 2015, depois de dez anos de ganhos anuais seguidos, a média do rendimento real (ajustado pela inflação) dos trabalhadores caiu para R$ 2.265,09, queda de 3,7% em relação a 2014. Foi a primeira queda desde 2004.

Na comparação de 2015 em relação ao início da série, em 2003, houve aumento de 28,4%, o que representou um ganho de cerca de R$ 501,25.

Todas as regiões pesquisadas tiveram perda na renda. O IBGE destaca as de Belo Horizonte (-4,6%), Rio de Janeiro (-4%) e São Paulo (-4%). 

Desemprego por regiões

O desemprego caiu em dezembro, em relação a novembro, no Rio de Janeiro (de 5,9% para 5,1%) e Porto Alegre (de 6,7% para 5,9%) e ficou estável nas demais regiões analisadas.

Na comparação com dezembro de 2014 o desemprego aumentou em todas as regiões: em Recife, de 5,5% para 10%; em Salvador, 8,1% para 11,9%; em Belo Horizonte, de 2,9% para 5,9%; no Rio de Janeiro, de 3,5% para 5,1%; em São Paulo de 4,4% para 7% e em Porto Alegre, de 3,6% para 5,9%.

IBGE vai encerrar PME

Atualmente o IBGE faz outras duas pesquisas sobre emprego com divulgações mensais, além da PME: Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua e a Pimes (Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário).

A Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua é feita em mais municípios do que a PME. A última divulgada indicou que o desemprego foi a 9% no trimestre de agosto a outubro do ano passado, o maior desde 2012.

A Pimes (Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário) mede apenas o emprego na indústria. A última indicou que o total de trabalhadores no setor caiu 0,4% em novembro, 11º mês seguido de queda.

O IBGE divulgou que vai acabar com a PME e a Pimes, ficando apenas com a Pnad Contínua. A última coleta da PME está programada para acontecer em fevereiro, com divulgação prevista para março.

Correção: este texto foi modificado.

(Com Reuters)

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos