Bolsas

Câmbio

Desemprego entre mulheres é maior que dos homens em 2015, diz IBGE

Do UOL, em São Paulo

  • Agência Brasil

O desemprego continuou atingindo mais as mulheres do que os homens em 2015, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A taxa de desemprego entre elas era de 11,7%, enquanto para eles foi de 7,9%.

Além disso, o aumento do desemprego no ano passado foi maior para as trabalhadoras. Enquanto a taxa delas aumentou 2,9 pontos percentuais, a dos homens subiu 2,6 pontos percentuais.

Os dados foram divulgados nessa sexta-feira (25) e fazem parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios).

As mulheres também eram a parcela maior entre os desempregados: 53,6% do total de 10 milhões de desempregados no ano passado. O percentual ficou um pouco acima da participação das mulheres na população total brasileira, que é de 51,5%, segundo o próprio estudo.

A proporção das mulheres entre os desempregados, porém, caiu 3,1 pontos percentuais entre 2014 e 2015.

Diferença salarial caiu

O salário médio das mulheres (R$ 1.567) em 2015 continuou menor do que o dos homens (R$ 2.058).

Em termos proporcionais, as mulheres receberam, em média, 76,1% do salário dos homens, o que representou um aumento de 1,6 ponto percentual em relação a 2014, quando essa proporção foi de 74,5%.

Segundo o IBGE, essa proporção de 2015 é menor quando são incluídos na conta todos os trabalhos, inclusive os não remunerados. Nessas condições, as mulheres recebiam 72,9% do que os homens ganhavam.

Isso porque, segundo o instituto, havia mais mulheres trabalhando sem receber remuneração.

No ano passado 8,5% das mulheres ocupadas não tinham salário, ou recebiam somente benefícios. Entre os homens, esse número era de 4,5%.

A proporção de mulheres com trabalho que recebiam até um salário mínimo também era maior do que entre os homens: 30,4% delas, contra 22% deles.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos