Bolsas

Câmbio

LCI e LCA rendem até 71% acima da poupança; veja mais opções sem IR

Sophia Camargo

Do UOL, em São Paulo

Investir sem pagar Imposto de Renda. Parece bom? Muitos investidores têm dito sim a essa pergunta e procurado opções para aplicar o dinheiro sem ter de desembolsar de 15% a 22,5% de Imposto de Renda sobre o rendimento, dependendo do tempo que o dinheiro fica aplicado.

A opção mais conhecida de investimento sem incidência de Imposto de Renda é a caderneta de poupança, que também não tem taxa de administração. A facilidade deste investimento faz com que ele seja bastante popular. 

Mas a baixa rentabilidade da poupança, de 0,5% ao mês mais TR, tem tirado sua atratividade. Em setembro, o investimento apresentou a menor captação desde 2005. 

"Há opções bem mais vantajosas, como a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)", afirma o professor Michael Viriato, coordenador do Laboratório de Finanças do Insper.

Uma aplicação de R$ 5.000 na poupança por 36 meses rende R$ 1.135.28. Na LCI, o rendimento é de R$ 1.938.54. A diferença é de 71% a mais para a LCI, segundo simulação da corretora Easynvest. 

Segundo Marcio Cardoso, sócio-diretor da Easynvest, nos últimos meses LCI e LCA obtiveram em média um rendimento 50% superior ao da poupança. "As letras de crédito têm se popularizado muito ultimamente. O estoque de LCI e LCA já ultrapassou a marca dos R$ 150 bilhões", diz o diretor.

Para se ter uma ideia do que isso representa, o patrimônio atual da poupança é de R$ 643 bilhões. A corretora disponibiliza um simulador para comparar a rentabilidade da poupança versus LCI e LCA.

A poupança ainda atrai muitos investidores que a consideram segura, diz Viriato. Mas poucos sabem que as LCIs e LCAs têm a mesma segurança da poupança, já que contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil, por CPF, por instituição financeira. "É a mesma garantia da poupança", afirma.

A desvantagem das LCIs/LCAs é que elas normalmente exigem um valor mínimo e um prazo de carência para o investimento, diferentemente da poupança, que aceita qualquer valor e que rende a partir do primeiro mês. "Há aplicações que chegam a ter prazo de carência de 4 anos, durante o qual não se pode retirar o dinheiro", diz Viriato.

Para o professor de Finanças da Fiap, Marcos Crivelaro, a poupança ainda é um bom destino para guardar as primeiras economias, aquelas que deverão servir para uma reserva de emergência. "Até uns R$ 30 mil, deve ser considerado o 'volume morto': não mexe", diz. "Quando a pessoa conseguir juntar esse montante, deve começar a guardar novamente e aí poderá diversificar com outras aplicações."

"As LCAs/LCIs são, atualmente, a poupança da classe média", diz Crivelaro. "Oferecem segurança, têm isenção de IR, mas é preciso ter um valor maior e um prazo maior para investir. E a classe média tem essa condição."

Na Easynvest, por exemplo, é possível investir em LCI/LCA a partir de R$ 5.000.

Outras modalidades embutem maior risco

Fundos imobiliários (FII), CRI, CRA e debêntures de infraestrutura também são opções de investimentos sobre as quais não incide imposto de Renda.

Mas, na opinião dos especialistas, essas modalidades embutem um risco maior, e devem ser experimentadas apenas por aqueles que já têm uma maior intimidade com o mercado financeiro, ou dispõem de consultores de investimentos, caso dos clientes private dos bancos ou pessoas que pagam planejadores financeiros pessoais.

"A LCI e a LCA têm risco semelhante ao de um CDB. Já os CRI e CRA não possuem garantia do FGC, o que as tornam mais arriscadas", diz Viriato.

Marcos Crivelaro afirma que quem investe até R$ 20 mil em ações também não paga imposto de Renda, mas ele não aconselha a fazer isso nesse momento, por conta da turbulência na economia.

8 investimentos isentos de Imposto de Renda
  • Thinkstock
    1
    Caderneta de poupança
    Investimento simples e popular. O dinheiro depositado é acrescido de juros mensalmente, a partir de 30 dias da aplicação. Vantagens: isento de IR, isento de taxa de administração; tem garantia do FGC; investidor pode sacar a qualquer momento, aceita depósitos de qualquer valor. Desvantagem: baixa rentabilidade; não tem rendimento se o dinheiro for retirado antes de 30 dias. Foto: Thinkstock
  • Matuiti Mayezo/Folha Imagem
    2
    Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA)
    São títulos de longo prazo lastreados em créditos originados no agronegócio. Para investir, é preciso procurar um banco ou corretora. Vantagem: isento de IR, rendimento normalmente superior à poupança. Desvantagem: prazo para sacar o dinheiro; risco de crédito e mercado, sem cobertura do FGC; investimento inicial geralmente elevado Foto: Matuiti Mayezo/Folha Imagem
  • Getty Images
    3
    Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI)
    É um título de renda fixa baseado em créditos imobiliários tais como o recebimento de aluguéis de imóveis. Para investir é preciso procurar um banco ou corretora. Vantagem: isento de IR, rendimento normalmente superior à poupança. Desvantagem: prazo para sacar o dinheiro; risco de crédito e mercado, sem cobertura do FGC; investimento inicial geralmente elevado Foto: Getty Images
  • Ronaldo Bernardi/Agência RBS - 13/02/2013
    4
    Debêntures de infraestrutura
    São títulos emitidos especificamente por empresas envolvidas em projetos de infraestrutura do país, como estradas e aeroportos. Para investir é preciso procurar um banco ou corretora. Vantagem: isento de IR, possibilidade de rendimento mais alto. Desvantagem: prazo de resgate pode chegar a anos (prazo médio de 11 anos, segundo a Cetip); investimento inicial geralmente alto; sem garantia do FGC Foto: Ronaldo Bernardi/Agência RBS - 13/02/2013
  • Getty Images
    5
    Fundos imobiliários (FII)
    Seu patrimônio pode ser composto de imóveis comerciais, residenciais, rurais ou urbanos, construídos ou em construção, a serem alugados ou vendidos. São negociados em Bolsa. Vantagem: opção mais barata para quem deseja investir em imóveis; isenção de IR. Desvantagem: inadimplência dos inquilinos/proprietários; dificuldade de vender as cotas; desvalorização do imóvel Foto: Getty Images
  • Yuya Shino/Reuters
    6
    Investimento em ações
    Caso as vendas de ações não ultrapassem R$ 20 mil no mês, serão isentas do pagamento de IR. Para investir é preciso procurar um banco ou corretora. Vantagem: diversificação, isenção de IR; possibilidade de rendimento mais alto e recebimento de dividendos. Desvantagem: renda variável; Bolsa com forte oscilação por conta do cenário eleitoral; sem garantia do FGC Foto: Yuya Shino/Reuters
  • Marcelo Justo/Folha Imagem
    7
    Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)
    É um título de crédito lastreado em negócios realizados por produtores rurais. Para investir, é preciso procurar um banco ou corretora. Vantagem: isento de IR, rendimento normalmente superior à poupança, tem garantia do FGC. Desvantagem: prazo para sacar o dinheiro; risco de crédito e mercado, prazo de resgate pode chegar a anos; investimento inicial médio Foto: Marcelo Justo/Folha Imagem
  • Shutterstock
    8
    Letra de Crédito Imobiliário (LCI)
    São papéis de renda fixa cujo lastro são créditos imobiliários garantidos por hipoteca ou alienação fiduciária de um bem imóvel. Para investir, procure um banco ou corretora. Vantagem: isento de IR, rendimento normalmente superior à poupança, tem garantia do FGC. Desvantagem: prazo para sacar o dinheiro; risco de crédito e mercado, prazo de resgate pode chegar a anos; investimento inicial médio Foto: Shutterstock
Fonte: BMF&Bovespa; Cetip; Marcio Cardoso, diretor da Easynvest; Marcos Crivelaro, professor da Fiap e Michael Viriato, professor do Insper

 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos