Tem emprego, mas não está tranquilo? 6 dicas para se blindar contra a crise

Sophia Camargo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Shutterstock

Mesmo quem está empregado ou tem uma renda garantida deve se preocupar com a crise. O desemprego vem crescendo e já atinge muitos chefes de família, responsáveis pelo sustento da casa. Se as contas da família não estão em ordem, é melhor não perder tempo. 

O planejador financeiro André Crepaldi, da Gaia Finanças Pessoais, dá 6 dicas para arrumar as finanças enquanto está empregado. Confira.

1) Pare de gastar sem limites

Getty Images/iStockphoto

O primeiro passo é saber quanto dinheiro entra e de que forma ele está sendo usado. Não gaste o que não precisa e corte todas as despesas que puder. Se tiver dívidas com juros altos, como cheque especial ou cartão de crédito, ajuste o orçamento para não usar mais esse tipo de crédito.

2) Crie uma reserva de emergência

Getty Images

"A nossa vida é feita de altos e baixos. É por isso que precisamos ter uma reserva para manter o fluxo de caixa", diz Crepaldi. Qual o tamanho dessa reserva? Depende da área em que o trabalhador atua, segundo Crepaldi. Por exemplo, se um médico perde o emprego fixo, ele consegue manter mais facilmente sua renda fazendo consultas e dando plantões. Já um diretor ou gerente terá mais dificuldade de se recolocar no mercado com o mesmo salário.

Uma boa medida é poupar o equivalente a seis meses de salário, em média. Assim, se a pessoa ganha R$ 5.000 por mês, deve poupar R$ 30 mil e deixar na reserva. Se estiver numa atividade de mais difícil recolocação, como um funcionário de alto nível ou altamente especializado, poupe o equivalente a oito meses. Essa reserva deverá ser usada apenas em casos excepcionais, como doença ou perda de emprego.

3) Poupe sempre

Thinkstock

Crie o hábito de poupar por mês 10% da renda líquida (o valor que cai na conta, após os impostos e descontos), mas tenha um objetivo para esse dinheiro, pois assim saberá onde aplicar. Se quiser trocar de carro daqui a seis meses ou um ano, não poderá investir o dinheiro em uma aplicação de longo prazo, com riscos de oscilação do mercado --como ações, por exemplo.

4) Aprenda a investir seu dinheiro

Getty Images

Estude sobre finanças para aprender quais as melhores aplicações para seu dinheiro. Não dependa apenas do gerente do banco ou de palpite de amigos. Mesmo que contrate um especialista para ajudar, ter conhecimento vai auxiliar a encontrar o melhor investimento para cada objetivo.

5) Busque uma renda extra

Getty Images

Não fique dependente apenas de uma única fonte de renda. Crie alternativas para engordar as receitas no final do mês, seja por meio de um trabalho extra ou resultado de investimentos --como dividendos de ações, aluguel de imóveis e rendimentos de aplicações financeiras.

6) Invista na sua carreira

Thinkstock

Estude, amplie seus conhecimentos, faça cursos de especialização e capacitação que podem ajudar a crescer na própria carreira ou na busca por um emprego no futuro. "Invista no seu maior ativo financeiro, que é você mesmo", diz Crepaldi. Isso também ajuda a ampliar a rede de pessoas que podem ajudar numa futura recolocação, se necessário.

Tecnologia ajuda na organização das finanças

  •  

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos