Bolsas

Câmbio

O que fazer com seu dinheiro aos 20 anos para ter sucesso financeiro aos 30

Sophia Camargo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Getty Images

Especialistas em finanças pessoais são unânimes em afirmar que, quanto antes a pessoa começar a poupar, menos sacrifício ela fará e mais dinheiro conseguirá juntar. Quem começa aos 20 anos tem bastante tempo para aprender a lidar com suas finanças e obter um bom patrimônio.

"Sucesso financeiro aos 30 anos é ter recursos que permitam comprar uma casa, mudar de emprego, fazer um curso no exterior, se assim desejar: é não ficar limitado pela falta de dinheiro", relata o estrategista de investimentos José Mauro Delella.

"A ideia do sucesso financeiro está associada a poder fazer escolhas."

Para o planejador financeiro Rogério Nakata, da Economia Comportamental, o mais importante para obter sucesso é investir na própria educação, pois ela é determinante para capacidade de gerar renda. 

O educador financeiro André Bona, do Blog de Valor, declara. "O investimento financeiro não substitui a necessidade de investir em si próprio, na sua formação e preparação profissional, pois é do seu trabalho que verdadeiramente virá seu sucesso", diz.

Para ele, outro ponto-chave do sucesso financeiro é a disciplina de poupar sempre.

Confira todas as dicas dos especialistas:

Invista em educação
Carlos Cecconello/Folhapress

O mercado de trabalho exige cada vez mais conhecimento, por isso é preciso investir na própria formação. "Não basta uma faculdade, busque uma pós, um doutorado", diz Nakata. "Quanto mais tempo a pessoa tiver de escola, maior vai ser a capacidade de formação de receita."

Aprenda sobre finanças
Getty Images/iStockphoto

Além de educação formal, Nakata diz que é preciso investir em educação financeira para não depender apenas da orientação alheia para cuidar do próprio dinheiro. "Defina que projetos de vida são importantes para você e defina prazos para realizá-los. Busque o conhecimento em sites especializados, faça cursos.

Poupe o máximo que conseguir
Thinkstock

Aos 20 anos, é provável que o jovem ainda não tenha se casado nem tenha filhos. Muitos até moram com os pais. Por isso, o conselho dos especialistas é que o jovem aproveite essa vantagem para poupar o máximo possível da renda. "Poupe algo em torno de 30% a 50% do que ganha", diz Nakata.

André Bona diz que, mesmo que o jovem só consiga poupar 10% da renda, é importante manter a disciplina de poupar todo mês. "Dez por cento da renda bruta é ideal para começar, pois não faz tanta diferença no orçamento", diz. "Ganha R$ 2.000, poupa R$ 200: é uma conta simples", diz.

Limite os gastos
Getty Images/iStockphoto

Para poupar não é preciso renunciar a todos os prazeres da vida, mas impor limites, afirma Delella. A dica é "carimbar" o dinheiro. Determine, por exemplo, quanto irá gastar com as baladas no mês e não ultrapasse.

Não se endivide
Shutterstock

Nakata diz que é comum o jovem se sentir "rico" ao receber o primeiro salário e já começar a se endividar. "Muitos já fazem financiamento de carro, esquecendo que carro não é investimento", diz. Além de ser um problema para as finanças, ficar com o nome sujo também pode impedir o jovem de conseguir emprego.

Controle o aumento das despesas
Getty Images

Quase todo mundo ganha pouco no começo da carreira. Mas à medida que o salário for melhorando, é prudente manter as despesas bem inferiores ao aumento da receita, para poder ter uma capacidade maior de poupança.

Veja o exemplo dado por Delella: se hoje você ganha R$ 1.000 e gasta R$ 600 (60% da renda) e, amanhã, seu salário aumenta para R$ 2.000, pode limitar suas despesas a R$ 1.000 (50% da renda). Nesse caso, houve um aumento no orçamento para as despesas, mas proporcionalmente você está gastando menos.

"Esse diferencial é que vai dar o fôlego para comprar a casa, o carro, ou passar um ano fora estudando lá na frente", diz.

Decida onde investir
iStockPhoto

Quem tem bem pouco dinheiro pode iniciar pela poupança para começar a formar um patrimônio, afirma Bona. "Apesar da poupança render pouco, quando o montante é pequeno a rentabilidade não faz tanta diferença", diz.

O importante é juntar sempre para começar a ter um volume maior de dinheiro, quando então será possível procurar outros investimentos como fundos com baixa taxa de administração (ele considera o ideal uma taxa de até 0,5% ao mês) ou CDBs que paguem 100% do CDI.

"Em grandes bancos é muito difícil encontrar esses investimentos, mas corretoras oferecem produtos mais atrativos." CDB e poupança estão cobertos pelo FGC em até R$ 250 mil; fundos de investimento não têm essa garantia.

Adie a compra da casa própria
iStock

Comprar uma casa aos vinte e poucos anos pode não ser uma boa ideia em termos financeiros. Além de comprometer a renda por um longo período durante o financiamento, ter um imóvel pode limitar as chances de crescimento na carreira, ao impedir ou dificultar que a pessoa se mude. Ao se casar também poderá perceber que o imóvel ficou pequeno demais.

Aprenda a falar fluentemente outra língua
Getty Images/iStockphoto

A necessidade de falar fluentemente uma segunda língua deixou de ser diferencial para ser uma exigência entre as empresas. A melhor maneira de adquirir essa fluência é passar um tempo no exterior, convivendo com a cultura do país. "É possível aproveitar esse intercâmbio para desenvolver uma atividade extra e ganhar algum dinheiro", diz Nakata. A fluência em mais línguas é um diferencial.

Planeje a aposentadoria
Shutterstock

Uma sugestão pensando na tranquilidade financeira para além dos 30 anos é não se esquecer da aposentadoria. Quanto mais cedo começar a poupar para a aposentadoria, menor será o sacrifício para juntar o dinheiro.

Uma dica é economizar 10% da renda todo mês a partir dos 20 anos para se aposentar aos 60 anos. Se começar mais tarde, terá de economizar uma parte maior da renda para poder manter o mesmo padrão de vida aos 60 anos.

Conheça as opções de investimento do Tesouro Direto

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos