PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Imposto de Renda 2022: Casal deve fazer declaração conjunta ou em separado?

Colaboração para o UOL, de São Paulo

10/02/2022 04h00Atualizada em 10/05/2022 16h12

Vale mais a pena fazer a declaração do Imposto de Renda em conjunto com o cônjuge ou separadamente? Tudo vai depender da realidade de cada casal, das rendas e despesas dedutíveis que possuem.

Para determinar a melhor forma de declarar, o caminho é fazer simulações de declarações em conjunto e em separado e entender em qual situação existe maior vantagem fiscal para o casal.

Em conjunto: soma das rendas e despesas dedutíveis pode compensar

Quando um casal escolhe declarar em conjunto, um será o titular da declaração e o outro cônjuge irá aparecer como dependente. As rendas de ambos serão somadas, assim como todas as despesas dedutíveis previstas em lei, como os gastos com saúde e educação, próprios e dos filhos.

A diferença entre as rendas e as despesas dos dois será usada como base de cálculo do IR anual. Sobre este valor, aplica-se a tabela progressiva do Imposto de Renda. Do valor apurado, deduz-se ainda todo o imposto retido na fonte, cuja informação consta nos informes de rendimento de ambos.

Ao declarar em conjunto, o aumento da renda familiar pode levar a declaração para uma faixa de tributação mais elevada. Por outro lado, ao somar as despesas dedutíveis dos dependentes (cônjuge e filhos), a base de cálculo do IR poderá ser menor, resultando em um imposto a pagar menor ou no aumento do valor da restituição.

Em separado: inclua os filhos na declaração de quem ganha mais

Quanto maior for a renda tributável, maior tende a ser a necessidade de deduzir despesas para reduzir a base de cálculo do IR. Esta é a análise que o casal precisa fazer. Ao optarem por declarar separadamente, cada um preenche o seu formulário.

Porém, o casal deve combinar em qual declaração os filhos serão informados como dependentes. Quando há mais de um filho, é permitido dividi-los entre as duas declarações para favorecer o casal. O mesmo filho não pode constar nas duas declarações simultaneamente.

É comum que os salários de cada cônjuge sejam diferentes e estejam em alíquotas distintas da tabela do IR. Neste caso, inclua os filhos (e suas respectivas despesas dedutíveis) na declaração de quem ganha mais, para conseguir um abatimento maior de imposto.

Veja como preencher a ficha de "Bens e Direitos"

O casal que optar pela declaração em separado deve ficar atento ao preenchimento da ficha de "Bens e Direitos". Os bens em comum do casal devem ser informados na declaração de apenas um dos cônjuges.

A outra parte deve informar na sua declaração que "os bens e direitos estão relacionados na declaração do cônjuge". Para isso, entre na ficha "Bens e Direitos e escolha o "código 99 (outros)". Coloque a frase acima e acrescente o nome e CPF do cônjuge. Nos campos "Situação em 31/12/2020" e "Situação em 31/12/2021", coloque valor zero.

O programa de preenchimento da declaração poderá emitir uma mensagem de alerta padrão, pedindo para preencher o campo com algum valor válido, porém não irá bloquear o envio da declaração. Assim, basta seguir em frente, mantendo o valor zerado.

Quem pode declarar em conjunto?

Pelas regras da Receita Federal, podem declarar em conjunto:

  • As pessoas oficialmente casadas.
  • Aqueles que vivem uma união estável há mais de cinco anos.
  • Casais com filhos em comum, independentemente do tempo de convivência ou se a relação é formal ou não.

Regras valem para casais homoafetivos

As mesmas regras valem para relações homoafetivas, desde que comprovadas por meio de certidão de casamento ou contrato de união estável registrado em cartório ou por acordo judicial.