PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Com risco de recessão, Apple anuncia corte para 2023 e surpreende o mercado

Duophenom/ Pexels
Imagem: Duophenom/ Pexels

Rafael Bevilacqua

19/07/2022 09h37

Esta é a versão online da edição de hoje da newsletter Por Dentro da Bolsa. Para assinar este e outros boletins e recebê-los diretamente no seu email, cadastre-se aqui.

A Apple (Nasdaq: AAPL), gigante norte-americana do setor de tecnologia, anunciou, na segunda-feira (18), que deve pausar as contratações e cortar os orçamentos de alguns setores em 2023, de olho no alto risco de recessão econômica.

A notícia pegou o mercado de surpresa, uma vez que a Apple é uma das maiores companhias do planeta, com valor de mercado de aproximadamente US$ 2,3 trilhões, e tem o costume de expandir continuamente seu quadro de funcionários e seus investimentos em tecnologia e desenvolvimento de novos produtos e serviços. A companhia encerrou 2021 com aproximadamente 154 mil empregados.

Apesar da perspectiva de um cenário macroeconômico difícil, a empresa vem planejando um ousado cronograma de lançamentos, que inclui um headset (fone de ouvido com microfone) de realidade mista, previsto para 2023.

Dentre as gigantes de tecnologia listadas nas Bolsas de Valores dos EUA, a Apple se destaca por ser uma companhia experiente, resiliente e que tem um mercado consumidor fidelizado, que não abdica de seus produtos e serviços.

Diante do risco de uma recessão global, a companhia sinaliza que deve adotar uma postura mais cautelosa no curto prazo, mas não há indícios de mudanças significativas no modelo de negócios da Apple, que segue lucrativo e tem um vasto potencial a ser explorado.

Ainda assim, quando grandes empresas anunciam cortes nos investimentos e a suspensão de contratações, é um sinal de atenção para o mercado no curto prazo. Isso mostra que empresários e analistas estão alinhados na visão de que a desaceleração da atividade econômica é praticamente inevitável, e reforça as apostas em uma recessão.

Leia no 'Investigando o Mercado' (exclusivo para assinantes UOL, que possuem acesso integral ao conteúdo de UOL Investimentos): informações sobre os resultados do Bank of America, um dos maiores bancos dos Estados Unidos.

Um abraço,

Rafael Bevilacqua
Estrategista-chefe e sócio-fundador da Levante

**********

NA NEWSLETTER A COMPANHIA

A newsletter A Companhia analisa as ações da Klabin, maior produtora e exportadora de papéis para embalagens do Brasil, com 22 fábricas no país e uma na Argentina. Os preços da celulose estão em alta no mercado internacional, mas isso não tem se refletido nas ações. Para se cadastrar e receber a newsletter semanal, clique aqui.

Queremos ouvir você

Tem alguma dúvida ou sugestão sobre investimentos? Mande sua pergunta para duvidasparceiro@uol.com.br.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo estrategista-chefe e sócio-fundador Rafael Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.