PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Investimentos

Tesouro Direto planeja lançar título com foco em aposentadoria, diz jornal

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes

Do UOL, em São Paulo

27/12/2021 09h37

O secretário do Tesouro Nacional, Paulo Valle, disse ao jornal O Estado de S. Paulo que o governo pretende lançar um título do Tesouro Direto com foco na aposentadoria. A aplicação deve estar disponível para venda pela internet a partir de 2022.

A ideia é que o título seja uma forma de preparação para a aposentadoria. Para isso, o investidor ficará acumulando os rendimentos durante 30 ou 40 anos, e só receberá o pagamento dos juros do papel depois, quando estiver aposentado.

"Hoje, o mercado de previdência fala muito da rentabilidade. Não fica claro qual é a renda que o poupador vai ter. Temos que mirar a renda", afirmou Valle em entrevista ao Estadão.

A lógica do novo papel será relacionada a quanto o investidor quer receber quando aposentado. Por exemplo, se após um período de 40 anos a pessoa quiser ter uma renda de R$ 5.000 mensais por mais 20 anos, ela poderá fazer uma simulação para saber quantos títulos precisará comprar.

Títulos com 'agenda verde'

Segundo o Estadão, o Tesouro também estuda emitir títulos públicos com a marca ESG (meio ambiente, social e governança, na sigla em inglês), que são voltados a responsabilidade ambiental, cuidado social e governança corporativa. Nesse caso, porém, os estudos devem continuar sendo feitos ao longo de 2022. O lançamento deve ocorrer primeiro no mercado internacional.

Otavio Ladeira de Medeiros, subsecretário da Dívida Pública do Tesouro, disse ao jornal que o governo está definindo quais indicadores serão usados como referência para esse tipo de título. Segundo Ladeira, "a discussão está bem avançada" e "envolve uma agenda verde, um compromisso do país". Uma das possibilidades seria vincular o título a um programa social com metas para tirar pessoas da pobreza.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE

Investimentos