Bolsas

Câmbio

Dilma acredita em apoio do PT para enfrentar crise econômica

Santiago, 27 Fev 2016 (AFP) - O Brasil precisa estar unido para implementar ajustes com sucesso e convencer os investidores de que está preparado para superar a "forte" crise econômica atual - declarou a presidente Dilma Rousseff, em Santiago, neste sábado, garantindo que tem o apoio de seu partido (PT).

Para retomar o crescimento depois de um 2015 com contração de 3,8%, o Brasil "não pode se mostrar sistematicamente desunido", defendeu.

Segundo ela, o país precisa encarar as "necessárias medidas (...) em meio à forte crise, pela qual estamos passando" e mostrar aos empresários que o país "tem sólidas estruturas".

Para recuperar o grau de investimento, afirmou, o governo precisa estabilizar a situação fiscal, um passo necessário "para que se crie um ambiente favorável para os investimentos (..) para que a inflação esteja controlada e que permita que haja um horizonte de expectativas positivas".

"Nós queremos voltar a crescer e, para voltar a crescer, é importante ter investimentos do setor privado e também do setor público", acrescentou.

Em seu segundo e último dia de visita ao Chile, a presidente justificou sua ausência da reunião do PT, neste sábado, diante da importância de fomentar investimentos estrangeiros - especialmente de empresas chilenas -, minimizando o mal-estar causado na base do partido por sua ausência.

"Tenho um problema de distância" para comparecer, brincou Dilma, na saída da reunião com empresários chilenos e antes de um almoço com a presidente chilena, Michelle Bachelet.

"Preciso da ajuda de todos os partidos da minha base - PT principalmente, que é o partido ao qual eu pertenço", frisou.

"Sempre pedirei o apoio (ao meu partido) e conto com o apoio deles", garantiu Dilma.

Reconquistar a confiança de investidoresHoje, ela se reuniu com a diretoria da companhia aérea Latam e da gigante papeleira CMPC, em uma agenda marcadamente comercial para fortalecer a cooperação regional e amenizar a crise econômica enfrentada no Brasil.

Depois da reunião, o secretário-geral da CMPC, Gonzalo García Balmaceda, comentou que a pauta do encontro incluiu o desenvolvimento de futuros investimentos e "as dificuldades que se apresentam para poder continuar investindo na nossa área", de produção de celulose, entre elas as limitações para a compra de terra em vigor para empresas estrangeiras no país vizinho.

García Balmaceda celebrou a boa disposição de Dilma e enfatizou que está feliz com a presença de sua empresa no Brasil.

"Fomos muito bem acolhidos. Chegamos em 2009, estamos presentes em vários estados e, obviamente, nossa intenção é continuar investindo no Brasil", relatou.

A CMPC tem investidos no Brasil mais de cinco bilhões de dólares.

Já o ministro brasileiro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, assinalou que as reuniões de Dilma com um representante da Latam e com García Balmaceda buscam "manter a confiança dos maiores investidores chilenos no Brasil".

Sobre a limitação de compra de terras por parte de empresas estrangeiras, Monteiro destacou que é preciso buscar uma fórmula que avalie esses casos de investimento sem afetar a soberania do país.

Na sexta-feira, depois de um encontro com Bachelet, no intuito de aprofundar a cooperação regional, Dilma se reuniu com representantes de cerca de 20 empresas brasileiras com presença no Chile. O objetivo era ouvir os problemas que enfrentam em um contexto regional adverso.

Depois da reunião, os empresários consideraram o resultado promissor.

Nas últimas horas de sua visita, programada em tempo recorde, Dilma teve um encontro privado com sua colega chilena e com a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal), Alicia Bárcena, na sede do organismo em Santiago.

"Conversaram sobre os desafios do desenvolvimento econômico, social e ambiental da região" e, em seguida, Dilma Rousseff se reuniu com economistas desse organismo regional da ONU, relatou a Cepal em um comunicado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos