Bolsas

Câmbio

Roubo milionário em plataforma de bitcoin dá novo golpe na divisa digital

Hong Kong, 3 Ago 2016 (AFP) - Uma das maiores plataformas de bitcoin, Bitfinex, com sede em Hong Kong, suspendeu suas operações com esta moeda virtual por intrusões de hackers que, segundo relatos, roubaram o equivalente a 65 milhões de euros.

O anúncio provocou uma desvalorização imediata de cerca de 20% desta criptomoeda.

"Hoje descobrimos uma falha de segurança que nos obrigou a suspender todas as transações da Bitfinex, tanto de depósitos quanto de retiradas", indicou a companhia em um comunicado divulgado na noite de terça-feira em seu portal.

"Estamos investigando a brecha para determinar o que ocorreu (...) e considerando várias opções para ressarcir as perdas" ocasionadas aos usuários, acrescentou a nota.

Segundo a agência Bloomberg News, os hackers tomaram 119.756 bitcoins, uma soma equivalente a 65 milhões de dólares no câmbio desta quarta-feira.

O valor deste instrumento de pagamento, frequentemente volátil, caiu de 603,06 dólares na terça-feira a 482,82 dólares nesta quarta, antes de se recuperar a 540 dólares, de acordo com Bloomberg News Data.

"Sim, tivemos uma falha importante", afirmou Fred Ehrsam, um dos fundadores do operador de bitcoin Coinbase.

"Bitfinex é uma plataforma importante e por isso (o ocorrido) é um acontecimento importante no curto prazo, embora o bitcoin já tenha demonstrado em outras ocasiões sua resistência a este tipo de acontecimentos", acrescentou.

A Bitcoin é uma criptodivisa, ou moeda digital, lançada em 2009 como forma de pagamento de transações on-line. As transações são processadas em servidores chamados "Bitcoin miners" e, ao contrário de moedas tradicionais, sua emissão não é regida por um banco central. Sua expansão preocupa às autoridades, que temem seu uso para atividades criminosas ou terroristas.

AntecedentesO roubo de bitcoins na plataforma Bitfinex é o último de uma série de incidentes que puseram em xeque o desenvolvimento do dinheiro virtual.

Em junho passado, o jornal The New York Times revelou que uma incursão de hackers tinha conseguido desviar mais de 50 milhões de dólares em moeda digital de um fundo experimental de outra plataforma, Ether, que pretendia demostrar que o uso desse dinheiro era seguro.

O pior golpe a esse meio de pagamento aconteceu em 2014, quando a plataforma de transações Mt Gox, com sede em Tóquio, se declarou em bancarrota após o roubo ou o desvio de centenares de milhões de dólares em bitcoins.

A plataforma admitiu que 850.000 bitcoins, avaliados em 480 milhões de dólares, tinham desaparecido de seus cofres virtuais.

O ex-diretor de Mt Gox, Mark Karpeles, foi detido no ano passado no Japão, onde enfrenta um processo por falsificação de dados no sistema informático da moeda para criar artificialmente um milhão de dólares. Seus advogados informaram no mês passado que o empresário francês havia sido liberado sob fiança.

O caso levou as autoridades japonesas a promulgar uma lei que determina que todas as operações com moeda virtual devem ser reguladas pelas autoridades financeiras do país.

O bitcoin chegou a ser cotado a 1.200 dólares em 2013, quase o mesmo preço que uma onça de ouro, mas depois do escândalo do Mt Gox nunca mais recuperou esse nível e sofre frequentes depreciações.

Durante anos, o inventor do bitcoin só era conhecido pelo pseudônimo Satoshi Makamoto.

No começo desse ano, o empresário australiano Craig Wright reivindicou sua paternidade, sem conseguir convencer todos os especialistas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos