Bolsas

Câmbio

EUA acusam russos de lançar ciberataques e advertem que responderão

Washington, 7 Out 2016 (AFP) - Os Estados Unidos acusaram o governo russo, formalmente, nesta sexta-feira (7), de lançar ataques virtuais contra organizações americanas para interferir nas próximas eleições presidenciais e advertiram que poderão tomar medidas "no momento e lugar" que considerarem convenientes.

Em uma conferência conjunta, o Departamento de Segurança Interna e o Escritório do Diretor de Inteligência Nacional indicaram que os hackers "tentavam com esses roubos e revelações interferir no processo eleitoral dos EUA".

"Acreditamos, com base no alcance e na sensibilidade de tais esforços, que apenas funcionários do mais alto escalão da Rússia podem ter autorizado essas atividades", disseram.

A declaração foi a primeira acusação oficial por parte de funcionários de Washington contra Moscou em uma série de ciberataques, ainda que muitos analistas afirmassem que os incidentes pareciam ter origem na Rússia.

Indicaram que a comunidade de inteligência local "está convencida de que o governo russo lançou a recente espionagem de e-mails de pessoas e instituições dos Estados Unidos, inclusive de organizações políticas americanas".

Além disso, a declaração afirma que as revelações de e-mails hackeados pelo WikiLeaks e outros sites da Internet pelo personagem virtual "Guccifer 2.0" eram "consistentes com os métodos e motivações russos".

"Essa atividade de Moscou não é nova - os russos utilizaram táticas e técnicas similares ao longo da Europa e Eurásia, por exemplo, para influenciar a opinião pública" desses locais, afirmou.

Um alto funcionário assinalou nesta sexta-feira que os Estados Unidos responderão aos ciberataques da Rússia "no momento e lugar" que considerarem convenientes e que essas ações poderão ser encobertas.

"Vamos tomar medidas para proteger nossos interesses, inclusive no ciberespaço, e faremos isso no momento e no lugar de nossa escolha", disse esse funcionário, utilizando a linguagem normalmente reservada para as campanhas militares.

Algumas horas depois, o Kremlin respondeu as acusações americanas contra a Rússia chamando-as de "lixo".

"Outra vez esse tipo de lixo", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov à agência de notícias russa Interfax. "Todos os dias o site de (Vladimir) Putin é atacado por dezenas de milhares de hackers. Muitos desses ataques vêm de território americano, mas não é por isso que nós acusamos a cada vez a Casa Branca ou a Langley (quartel-general da CIA)", acrescentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos