PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Destino de famosa confeitaria lisboeta está nas mãos do tenista Rafael Nadal

29/06/2018 15h38

Lisboa, 29 Jun 2018 (AFP) - Moradores de Lisboa pediram a Rafael Nadal que ajude a salvar uma das confeitarias mais conhecidas da cidade, cujo imóvel foi comprado por um fundo de investimento que está parcialmente nas mãos do tenista espanhol.

"Estimado Rafael Nadal, não mate as nossas memórias!", clama o coletivo denominado "Cidadanialx" em uma carta aberta redigida em espanhol e publicada em seu site na quinta-feira.

O principal motivo de preocupação desse grupo de lisboetas é a confeitaria "Suíça", fundada em 1922 e cuja varanda dá para a Praça do Rossio, um dos bairros mais conhecidos da capital portuguesa, local de encontro de personalidades durante décadas e, agora, de turistas.

Rafael Nadal, atual número um do mundo, tem uma participação no fundo de investimentos Mabel Capital, que em fevereiro comprou por 62 milhões de euros vários imóveis no bairro.

A confeitaria "Suíça" fechará as suas portas no final de agosto, explicou o seu gerente, Fausto Luis Roxo.

"A Confeitaria Suíça foi ponto de encontro de todos os intelectuais judeus que fugiam da Segunda Guerra Mundial e se dirigiam aos Estados Unidos", recorda a carta.

Anos depois, neste mesmo local se sentaram famosos clientes como o diretor de cinema Orson Welles, a cantora de ópera Maria Callas e o senador americano Edward Kennedy.

"Neste bairro histórico existem várias lojas que a cidade não pode perder", assinalam os signatários.

Por conta da pressão imobiliária há muitos estabelecimentos tradicionais que correm o risco de serem fechados, ou radicalmente transformados em Lisboa, cuja Prefeitura criou a denominação "loja histórica" para que seus proprietários possam dispor de ajudas financeiras para preservar ou modernizar o seu patrimônio.