ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Avião da chanceler alemã faz pouso de emergência rumo ao G20

30/11/2018 10h18

Berlim, 30 Nov 2018 (AFP) - A Aeronáutica alemã investigava nesta sexta-feira a grave pane que forçou o avião de Angela Merkel realizar um pouso de emergência em Colonia, oeste da Alemanha.

A Aeronáutica excluiu qualquer hipótese criminosa por trás da pane, uma possibilidade que foi citada em um primeiro momento pelo jornal regional Rheinische Post. "Não há qualquer indício para uma pista criminosa", garantiu à AFP um porta-voz militar.

Todo o sistema de comunicação do Airbus A340 com o solo foi interrompido quando a aeronave sobrevoava a Holanda, um incidente considerado grave, segundo o site do jornal Der Spiegel e o Rheinische Post. Foi por telefone via satélite que a tripulação coordenou o pouso de emergência na quinta à noite em Colonia.

A chanceler finalmente embarcou esta manhã a bordo de um voo da companhia espanhola Iberia partindo de Madri, a fim de se juntar a seus colegas do G20 com um atraso de 12 horas.

Sua chegada na capital argentina está prevista para 17h55 (18h55 de Brasília) e as reuniões bilaterais previstas para esta noite com os presidentes americano Donald Trump e chinês Xi Jinping foram canceladas.

Também não participará da tradicional foto de família, que reúne os chefes de Estado ou de Governo dos 20 países que compõem o grupo.

O Airbus A340-300, chamado de Konrad Adenauer, o primeiro chanceler alemão do pós-guerra, foi recebido pelos bombeiros na pista de pouso.

O avião retornou quando sobrevoava a Holanda e foi para Colônia porque é lá que está baseado o único aparelho substituto.

O pouso foi brusco e como o aparelho ainda estava com muito combustível e peso, os freios foram fortemente acionados.

A chanceler, filmada descendo do avião com um guarda-chuva e uma bolsa de mão, passou a noite em um hotel de Bonn, antes de seguir para Madri ao amanhecer para embarcar nim voo comercial regular.

Segundo a agência alemã DPA, o piloto informou às 20H30 (17H30 Brasília) aos passageiros que faria um pouso em Colonia devido a um problema técnico que provocou a interrupção de vários sistemas elétricos.

"Não se preocupem, vamos pousar de forma segura em Colônia".

Contudo, segundo Der Spiegel, a pane foi mais séria: uma hora após a decolagem, todo o sistema de comunicação com o solo parou de funcionar.

Na indústria aeronáutica, esse tipo de incidente é classificado como de urgência perigosa e acontece raramente.

Se a Aeronáutica excluiu qualquer origem criminosa para a pane, ainda falta determinar o que provocou o incidente.

A aeronave foi adquirida, usada, em 2011 da companhia aérea Lufthansa. Pode transportar 143 pessoas e dispõe de um sistema de defesa antimíssil, bem como um quarto e um banheiro com chuveiro.

O avião foi construído em 1999 e já havia efetuado cerca de 50.000 horas de voo quando comprado pelo governo, de acordo com Der Spiegel.

Em meados de outubro, o mesmo avião teve problemas na Indonésia e obrigou o ministro da Fazenda a voltar de uma reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI) a bordo de um avião comercial.

Em 29 de junho, foi o presidente da República, Frank-Walter Steinmeier, que precisou trocar de avião para viajar a Minsk depois de uma falha hidráulica.

jdö/lr/mr

Mais Economia