PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Advogado de Ghosn pede mudança no sistema judicial japonês

20/02/2019 09h11

Tóquio, 20 Fev 2019 (AFP) - A longa detenção de Carlos Ghosn no Japão, criticada no exterior, deve servir para "alterar" o sistema judicial japonês, disse nesta quarta-feira o novo advogado do executivo, reiterando a sua inocência.

"Os promotores o mantém na prisão porque ele não confessa. Quero que as pessoas se perguntem se é apropriado, do ponto de vista das normas internacionais", declarou Junichiro Hironaka, em sua primeira coletiva de imprensa em Tóquio.

"Como este caso se tornou internacional, acredito que é hora de alterar o sistema", acrescentou.

A Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH) e a organização japonesa Centro para os Direitos dos Presos denunciaram nesta quarta-feira as "graves falhas" do sistema judiciário japonês.

Ghosn, cuja detenção em 19 de novembro abalou o mundo dos negócios, é acusado de ocultar parte de sua renda às autoridades do mercado de ações, totalizando 9,2 bilhões de ienes (74 milhões de euros), entre 2010 e 2018.

Ele também é acusado de quebra de confiança, crimes pelos quais pode ser condenado a até 15 anos de prisão.

Ghosn, de 64 anos, primeiro escolheu Motonari Otsuru, um ex-promotor, como advogado. Mas em face de sua atitude considerada passiva e da rejeição de seus pedidos de libertação, trocou na semana passada sua equipe de defesa.

"Os procedimentos para preparar o julgamento estão começando e deve ocorrer logo após o verão ou outono", disse Hironaka.

si-anb/uh/glr/pc/zm/mr

MITSUBISHI MOTORS

NISSAN MOTOR

Renault