PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Boris Johnson considera Brexit uma 'enorme oportunidade econômica'

27/07/2019 11h07

Manchester, Reino Unido, 27 Jul 2019 (AFP) - O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou neste sábado (27) que o Brexit é uma "enorme oportunidade econômica", mas que tinha sido tratado como "uma adversidade climática iminente" por sua antecessora, Theresa May.

Em um discurso em Manchester (noroeste), onde prometeu novos investimentos nas regiões que votaram a favor do Brexit, Johnson garantiu que intensificará as negociações sobre acordos comerciais pós-Brexit e implementará portos francos para impulsionar a economia.

"Sair da União Europeia é uma enorme oportunidade econômica para fazer coisas que não nos permitiram fazer durante décadas", declarou Johnson.

"Quando as pessoas votaram para sair da União Europeia, não estavam votando apenas contra Bruxelas, mas também contra Londres", afirmou.

Johnson também prometeu dar mais poder às comunidades locais e reforçar infraestruturas de telecomunicações e de transporte, durante um discurso centrado em assuntos nacionais.

"Recuperar o controle não se aplica apenas a Westminster recuperar sua soberania da UE, significa que nossos povoados, condados e cidades tornem-se mais autônomos", acrescentou.

Questionado sobre as negociações do Brexit, Johnson afirmou estar disposto a se comprometer com os sócios da UE, mas apenas caso a salvaguarda irlandesa seja retirada do atual acordo, fechado por May.

A salvaguarda é um artigo destinado a evitar o restabelecimento de uma fronteira física entre a província britânica da Irlanda do Norte e sua vizinha República da Irlanda após o Brexit.

"O enfoque do governo do Reino Unido não é deixar de se comprometer, nem ser distante, nem esperar que venham a nós. Vamos tentar resolver este problema", declarou.

"Não podemos fazer isso enquanto permanecer essa salvaguarda antidemocrática, essa salvaguarda que busca dividir nosso país, dividir o Reino Unido. Precisamos tirá-la, e aí poderemos avançar", concluiu.

- Novas eleições descartadas -Mais cedo, o novo líder tentou dissipar os rumores de que convocaria eleições antecipadas.

O ex-prefeito de Londres, que assumiu seu posto nesta quarta-feira, prometeu tirar os britânicos da UE antes da data-limite de 31 de outubro, com ou sem acordo.

Nos primeiros dias no cargo, Johnson se concentrou em questões nacionais.

Johnson descartou "absolutamente" a possibilidade de convocar eleições antecipadas nesta sexta-feira antes de o Reino Unido deixar o bloco. O novo pleito serviria para tentar recuperar a maioria no Parlamento.

"Os britânicos votaram em 2015, em 2016, em 2017", disse ele durante uma visita à cidade inglesa de Birmingham (centro).

"O que eles querem que façamos é cumprir seu mandato, deixar a UE em 31 de outubro", acrescentou. "Eles não querem outro evento eleitoral, outro referendo, eles não querem uma eleição geral".