PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Especialista do Banco Mundial aponta crescimento da economia mundial em 2020

08/01/2020 21h28

Washington, 8 Jan 2020 (AFP) - O sol finalmente surgiu para a economia global com a aparente redução das tensões comerciais, mas resta saber se haverá um novo aumento dos investimentos que impulsionam o crescimento, disse à AFP um economista do Banco Mundial (BM).

Ayhan Kose, que supervisiona a análise da economia mundial pelo Banco Mundial, acredita que a ligeira aceleração do crescimento global esperada para 2020 é mais lenta que o necessário e classifica a recuperação como frágil.

Numa entrevista à AFP, explicou suas principais previsões e preocupações:

- Reduziram suas previsões de crescimento desde junho. Por que essas boas notícias? -"Acho justo dizer que 2019 foi um ano extremamente difícil para a economia global. O crescimento do ano passado foi o mais baixo desde a crise financeira global e o crescimento comercial também estava no nível mais baixo desde a crise financeira global. Portanto, a boa notícia para 2020 [é que] esperamos que o crescimento global aumente, um aumento marginal de 2,4 para 2,5 "[%].

"Temos a esperança que seja um ponto de virada. Por três anos consecutivos, vimos um crescimento mais fraco ... tensões relacionadas ao comércio e alta incerteza sobre as políticas [que] eclipsaram a atividade, e basicamente essa desaceleração sustentada da economia". comércio, manufatura, produção industrial e, o mais importante, investimento. Agora, a esperança é que essas tensões comerciais sejam reduzidas ... e então você verá que a confiança retorna".

"Temos esta mudança de tom no contexto comercial e isso é um desenvolvimento muito positivo".

- Quais são as suas principais preocupações com o futuro? -"Uma andorinha não faz verão, portanto, precisamos olhar e analisar os dados que chegarem para nos convencermos dessa recuperação frágil que estamos projetando".

"Não se trata apenas do impacto das tensões comerciais sobre a confiança, mas do maior impacto sobre o investimento. E essa desaceleração do investimento afeta o que chamamos de crescimento potencial, a capacidade das economias de gerar crescimento. Portanto, existe um impacto permanente".

"O crescimento da dívida desde a crise foi o maior, o mais expandido e, é claro, cresceu mais rapidamente para os mercados emergentes das economias em desenvolvimento e temos que ter em mente o que acontecerá se o crescimento permanecer fraco e um aumento repentino nas taxas de juros ou nos bônus de risco pode desencadear desafios para as economias de mercado emergentes".

"Não devemos perder de vista essa questão importante porque, em suma, a crise sempre tem sua raiz na dívida".

"Estes países estão definitivamente pior preparados, em relação à posição em que estavam".

- Estas perspectivas podem ser alteradas pelas tensões entre Irã e Estados Unidos? -"Penso que este recente aumento da tensão geopolítica é motivo de preocupação... Contudo, quando se vê a reação do mercado até agora, tem sido silenciosa".

"Acompanhamos os acontecimentos na região com muito cuidado, porque essas tensões geopolíticas podem ter impactos adversos na atividade".

"O impacto das tensões geopolíticas tende a ter vida curta".

"Nós apenas temos que esperar e ver. Nós realmente não temos muitos dados para jogar".

"Ao mesmo tempo, todos devem ter em mente o fato de que a economia global basicamente precisa de menos incerteza e maior confiança. Estamos projetando uma recuperação frágil".

hs/dg/piz/gm/lca