PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Para Tesouro dos EUA, novo plano de ajuda econômica é possível se democratas cederem

10/08/2020 15h48

Washington, 10 Ago 2020 (AFP) - O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, defendeu nesta segunda-feira (10) que é possível um acordo no Congresso para um novo plano de ajuda para amenizar os efeitos da pandemia nos EUA, se os democratas cederem em algumas de suas reivindicações.

Com as negociações paralisadas, o presidente americano Donald Trump assinou no fim de semana ordens executivas para dar assistência aos trabalhadores e às empresas, em um momento em que a pandemia da COVID-19 continua avançando sem controle e o desemprego está em nível alto.

Na semana passada, a líder da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, e o chefe da minoria democrata do Senado Chuck Schumer, se reuniram em várias ocasiões com Mnuchin e com o chefe de gabinete Mark Meadows para tentar chegar a um acordo que aproxime a proposta democrata de um plano de US$ 3 trilhões com a alternativa dos republicanos de um pacote de US$ 1 trilhão.

Mnuchin rejeitou a oferta dos democratas de cortar o plano para US$ 2 trilhões, incluindo a ajuda para os estados e governos locais, como uma ideia "absurda".

Nesta segunda-feira, em uma entrevista ao canal CNBC, o secretário declarou que "um acordo pode ser alcançado, se os democratas forem razoáveis e quiserem chegar a uma solução".

- O pacote Trump -Trump rejeitou várias vezes o plano que inclui uma ajuda para os governos dos estados e as administrações locais.

O presidente disse hoje no Twitter que Pelosi e Schumer "só querem dinheiro para resgatar os estados governados pelos democratas e para as cidades que estão falindo".

No entanto, a ajuda que seu governo aprovou com uma ordem executiva corre o risco de ser paralisada na Justiça já que, segundo a Constituição dos Estados Unidos, cabe ao Congresso a distribuição dos orçamentos.

A menos de três meses das eleições, vários economistas alertam que a pandemia pesou nas contas dos governos locais. Mnuchin, no entanto, afirmou que essas administrações ainda têm fundos "suficientes" do último pacote de ajuda.

Após o anúncio da ordem executiva de Trump, Pelosi o acusou de não entender "a gravidade e a urgência" que as famílias trabalhadoras enfrentam. A Câmara do Comércio lembrou que as ordens executivas "não substituem a ação do Congresso".

Para Mnuchin, existe um espaço para avançar nas negociações. "Podemos sim chegar a um acordo justo, o faremos esta semana. Mas o presidente precisa de ações, não vai ficar sentado esperando", afirmou.

hs-an/mr/aa/cc