PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Chile destaca redução de acidentes na mineração 10 anos após resgate no Atacama

13/10/2020 17h58

Santiago, 13 Out 2020 (AFP) - O governo chileno chamou atenção para a redução dos acidentes na mineração do país nesta terça-feira (13), dia que marca uma década do resgate bem-sucedido dos 33 mineiros do Atacama, presos por 69 dias a mais de 600 metros de profundidade.

Em cerimônia no palácio do governo, em Santiago, com a presença de quatro dos mineiros presos, o presidente Sebastián Piñera - que estava seu mandato anterior (2010-2014) na época do resgate - disse que em 10 anos houve uma redução de 75% na taxa de mortalidade em acidentes de mineração no Chile, o maior produtor mundial de cobre.

Desde então "também avançamos muito em direção a uma mineração mais sustentável e inclusiva, com maior compromisso com seus trabalhadores e suas comunidades e com a proteção do meio ambiente e da natureza", afirmou o presidente.

Segundo o ministro da Mineração, Baldo Prokurica, "o Chile é um dos países mineradores com as menores taxas de mortalidade do mundo, atrás apenas da Austrália".

O Chile é responsável por cerca de um terço da produção global de cobre. E no país, principalmente no árido deserto do Atacama, no norte, estão localizadas as principais mineradoras do mundo. A atividade representa entre 10% e 15% do PIB e metade das exportações chilenas.

Se em 2010 foram registrados 41 acidentes de mineração no Chile, em 2019 foram 10. Quanto ao número de trabalhadores mortos, há uma década 45 pessoas perderam a vida na mineração, enquanto em 2020 morreram 11 pessoas.

A melhora, conforme explicado pelo ministro, deve-se em grande parte ao aumento do número de auditorias às operações das companhias de mineração, que passou de 2.586 em 2010 para 10.545 no ano passado.

"Depois do acidente dos 33 na mina San José, houve uma mudança na cultura de segurança dessa indústria", acrescentou o ministro.

Em 5 de agosto de 2010, 33 mineiros ficaram presos no fundo da antiga mina de ouro e cobre San José, na cidade de Copiapó, 800 km ao norte de Santiago. Passaram-se 17 dias sem notícias deles, até que um sinal de vida surgiu por um pequeno buraco.

Foi então desencadeada uma frenética corrida para resgatá-los, o que aconteceu no dia 13 de outubro de 2010, em uma operação bem-sucedida acompanhada, minuto a minuto, por milhões de pessoas em todo o mundo.

Os mineiros emergiram, um a um, dentro de uma gaiola de metal de apenas 66 centímetros de diâmetro, que atravessava um buraco perfurado ao longo de mais de um mês.

pa/lda/ic/mvv