PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Rússia minimiza importância dos grãos ucranianos: 'Não temos que exagerar'

Rússia minimizou o impacto de sua ofensiva na Ucrânia sobre o aumento dos preços dos cereais - Natalia Kolesnikova/AFP
Rússia minimizou o impacto de sua ofensiva na Ucrânia sobre o aumento dos preços dos cereais Imagem: Natalia Kolesnikova/AFP

08/06/2022 10h46Atualizada em 08/06/2022 10h46

A Rússia minimizou o impacto de sua ofensiva na Ucrânia sobre o aumento dos preços dos cereais nesta quarta-feira (8) e pediu para não "exagerar" a importância da produção ucraniana no mundo.

"Não temos que exagerar a importância das reservas de cereais [ucranianos] nos mercados internacionais", declarou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, à imprensa.

"É uma porcentagem muito pequena para ter um impacto significativo na crise alimentar mundial, que já começou", acrescentou.

Segundo Peskov, a crise se deve "a uma série de eventos e ações mal-intencionadas de governos ao redor do mundo". No entanto, ele não especificou os eventos aos quais se referiu.

Um pouco antes, o ministro russo das Relações Exteriores, Serguéi Lavrov, minimizou também o impacto do conflito na crise alimentar. De visita em Ancara, a capital turca, disse que "não era a causa ou o catalisador da crise alimentar".

"Demos muita atenção ao problema da exportação de cereais ucranianos, que nossos colegas ocidentais e os ucranianos tentam apresentar como uma crise universal, quando esses cereais representam menos de 1% da produção mundial de trigo e outros cereais", afirmou.

Desde o início do conflito, os preços dos cereais e dos óleos aumentaram consideravelmente e ultrapassaram inclusive os preços das primaveras árabes de 2011 e das "revoltas da fome" de 2008.

A Ucrânia é o quarto exportador mundial de trigo e terceiro de milho, mas não pode mais exportar sua produção através do Mar Negro devido à ofensiva russa.