IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Expectativa x realidade: como é viver em uma cidade dominada por turistas

Lindsey Galloway - BBC Travel

08/09/2019 14h49

As viagens e o turismo crescem mais rápido que o PIB global e contribuem com mais de US$ 8 trilhões (ou R$ 32 trilhões) para a economia global a cada ano.

No entanto, em algumas cidades com um número alto de visitantes, governos e moradores se questionam sobre os prós e contras desse crescimento do turismo.

Para entender os desafios que essas cidades podem ter nos próximos anos e como podem enfrentá-los, o Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, sigla em inglês para World Travel & Tourism Council) e a empresa imobiliária JLL criaram o índice Destination 2030, como uma forma de medir o preparo do setor, com base em dados do crescimento do turismo e da capacidade das cidades de gerenciar essa demanda.

O índice mede 75 indicadores de turismo - incluindo a concentração de visitantes, a preparação da infraestrutura urbana e políticas locais - para determinar os desafios de 50 das principais cidades do mundo.

Conversamos com alguns moradores dessas cidades para descobrir como o fluxo de viajantes nos últimos anos os afetou, como as autoridades estão respondendo e como melhorar a relação entre visitantes e locais durante o ano todo.

Amsterdã

Com 18 milhões de visitantes no ano passado e uma população de menos de 1 milhão, Amsterdã viu os turistas aumentarem os preços dos imóveis devido, em parte, a serviços de aluguel de curto prazo, como o AirBNB, além de contribuírem para ruas superlotadas e problemas com as leis locais sobre drogas.

No índice, Amsterdã se destaca pela concentração de visitantes e a pressão que isso exerce na cidade. Residentes infelizes deram a ela o apelido de "Veneza", cidade-símbolo da invasão de turistas.

Ainda assim, alguns dizem que a situação não é tão sombria quanto a mídia faz parecer. "Os museus têm orçamento suficiente e as pequenas empresas estão prosperando", disse Hanneke Vroegindeweij, nativo de Amsterdã e co-fundador da empresa de turismo privada Amsterdam Odyssey. "Em 42 anos da minha vida, nunca vi minha cidade tão bonita."

Isso não significa que não haja muito a ser feito e o governo holandês está trabalhando para isso. A cidade proibiu aluguéis de curto prazo em certas áreas, e tem planos de impedir a atracação de navios de cruzeiro.

A cidade também trabalhou na canalização de turistas para outras cidades holandesas, como Zandvoort (a 40 km do centro de Amsterdã), renomeada "Amsterdam Beach" para dar às pessoas a sensação de que é um destino acessível.

"A cidade está implementando vários projetos que promovem diferentes tipos de turismo, com ênfase em sustentabilidade, 'viagens lentas' ou a bairros menos conhecidos com projetos como '24H Noord' [parte do programa 24H Amsterdã, que dedica um dia a explorar distritos menos conhecidos e visitados da cidade] ", disse Vroegindeweij.

"Não somos contra ter muitos turistas em Amsterdã. Nós apenas queremos que eles - e a cidade - experimentem algo acima do nível do turismo de massa."

São Francisco

A cidade costeira da Califórnia sempre atraiu turistas a sua icônica ponte Golden Gate, mas o boom tecnológico do Vale do Silício pressionou ainda mais os recursos da locais, ao mesmo tempo em que aumenta o número de turistas. No índice, São Francisco está também aparece como cidade pressionada pelo turismo.

Um dos lugares de referência na cidade atualmente é a Lombard Street, conhecida como "a rua mais tortuosa do mundo" por suas curvas sinuosas e íngremes. "O engarrafamento para percorrer esse pequeno trecho se espalha pelas ruas vizinhas e bloqueia o trânsito", disse Kristine Dworkin, cuja família vive ali há gerações.

"Os grupos param para tirar selfies, aparentemente sem nenhuma consciência dos carros vindo em sua direção. Os pedestres também parecem não perceber que as casas ao longo da Lombard são propriedade privada e frequentemente ultrapassam os limites dos jardins."

Em resposta às reclamações, a cidade aprovou recentemente um sistema com base em pedágio, que entraria em vigor no próximo ano.

Lombard não é a única rua em que os turistas chegam perto demais do conforto de residências particulares. O Alamo Square Park, no centro da cidade, fica perto das 'Painted Ladies', casas vitorianas de várias cores que datam da década de 1890 - ainda mais famosas por serem o pano de fundo da abertura da série de televisão Full House.

"Em uma recente visita ao Alamo Park, meus filhos ficaram surpresos ao ver do parque pessoas que subiram até a porta da casa de Full House e tiraram fotos", disse Dworkin. "Minha filha me perguntou: 'Mãe, eles acham que não tem pessoas morando lá? Talvez eles pensem que é um cenário do programa".

A cidade gera mais de US$ 9 bilhões (ou R$ 36 bilhões) com turistas anualmente, enquanto autoridades aceitam o engarrafamento e trabalham em iniciativas para limpar outras partes da cidade e torná-las mais atraentes para os visitantes.

Em troca, é empatia e respeito que moradores como Dworkin gostariam de ver.

Praga

A capital da República Tcheca (uma cidade de apenas 1,3 milhão de pessoas) atraiu um recorde de 7,9 milhões de visitantes no ano passado. A maioria dos turistas nunca sai da área de Praga 1, do distrito da Cidade Velha, de Malá Strana (bairro menor) e da área do castelo, o que mantém os efeitos negativos contidos.

"É uma pena que o centro tenha sido entregue aos turistas, mas mesmo lá os habitantes locais podem encontrar refúgio e cervejas baratas em lugares conhecidos principalmente por estudantes universitários", disse Charlie Neville, de Londres, que vive em Praga desde 2002 e trabalha na empresa turística JayWay Travel.

"Nós desfrutamos de uma versão muito menos movimentada de Praga em bairros como Letná, com seu jardim com uma das melhores vistas da cidade, as avenidas arborizadas de Vinohrady, a moderna Karlin e a hipster Vrsovice".

Para manter os efeitos do turismo sob controle, o conselho da cidade de Praga trabalhou para impor regras de barulho, proibiu patinetes e atualmente está trabalhando na proibição de "bicicletas de cerveja", populares triciclos movidos a pedal que circulam por cervejarias e bares no centro da cidade.

Assim como em Amsterdã, o departamento de turismo tcheco está trabalhando para tirar as pessoas da capital. "?eský Krumlov [uma cidade boêmia com castelo a 170 km ao sul de Praga] já está muito ocupada com passeios, mas a segunda maior cidade [do país], Brno, é uma alternativa agradável e sem turistas, assim como Olomouc", disse Neville.

Barcelona

Barcelona tem lutado nos últimos anos para gerenciar o número de turistas que caminham por suas ruas ensolaradas. Com mais de 30 milhões de visitantes no ano passado, os turistas podem exceder em muito a população local de 1,6 milhão, o que pressiona os recursos da cidade.

"Os turistas me incomodam quando um grupo deles pega o ônibus do bairro - um pequeno microônibus que os moradores usam para subir para suas casas, especialmente útil para idosos e famílias com crianças, carrinhos ou pessoas carregando sacolas pesadas", disse Marta, natural de Barcelona.

Laurent Veciana, proprietário da empresa de turismo ForeverBarcelona.com, diz que grandes grupos de turistas também costumam bloquear as máquinas de validação de bilhetes de metrô. "Deixe pelo menos uma máquina disponível para os locais para que eles não precisem esperar até que todo o grupo valide o ingresso para entrar".

Como destino de praia, Barcelona às vezes pode atrair turistas mal comportados. "É realmente irritante quando você vê turistas jogando lixo nas ruas, ou gringos bêbados à noite vomitando", disse María José Castro, que se mudou para cá há um ano. Veciana também critica pessoas que acham que não há problema em andar nuas pelas ruas, algo que se tornou muito comum. "Existem duas praias de nudismo, se quiserem. Além disso, os homens não devem ficar sem camisa fora da área da praia. "

Os moradores dizem que os turistas podem tomar medidas básicas para não fazer sujeira e ficarem mais quietos durante a noite para aliviar parte da carga sobre os habitantes locais.

O governo também trabalhou nos últimos anos em iniciativas para reduzir a tensão. Eles implementaram recentemente um novo ônibus da estação de metrô Alfons X (L4, linha amarela) para o Park Güell de Gaudi, gratuitamente, com a compra do ingresso para o parque, e trabalhou para reduzir o número de pedestres em ruas no entorno da basílica da Sagrada Família.

Eles também aprovaram leis que restringem os passeios de patinetes e de bicicleta a determinadas áreas.

Toronto

Nem toda cidade vê o número crescente de visitantes como algo ruim. "Pessoalmente, adoro ver mais pessoas migrando para nossa grande cidade de Toronto", disse Kyle Collier, fundador da startup de tecnologia Phaze.

"Eu moro em Xangai, China, então, do meu ponto de vista, Toronto tem muito espaço." Mas isso não significa que Toronto não enfrente desafios pela frente.

Embora a indústria do turismo pareça pronta para receber o fluxo de visitantes, de acordo com os habitantes locais, os moradores estão sentindo a pressão.

"Toronto já estava enfrentando uma escassez de moradias populares. Especialmente no centro da cidade, isso foi agravado pelo advento dos alugueis de férias", disse o morador Eric Wychopen, que escreve sobre a província no blog Ontario Away.

"Agora é comum ver os condomínios proibindo os locatários de postarem suas propriedades para aluguel de férias. No entanto, também se sabe que alguns inquilinos ainda alugam ilegalmente suas propriedades."

Respeito pelo meio ambiente seria bom, dizem os moradores. "Fazer sujeira é algo que me chateia", disse Collier. "Você certamente não gostaria que as pessoas jogassem lixo em sua casa, então por que fazer isso? Respeite o planeta e as pessoas, especialmente aquelas que você não conhece."

Veja a versão original desta matéria aqui


Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

https://www.youtube.com/watch?v=8kqQjztmI_M

https://www.youtube.com/watch?v=12ydy5D4ns0&t=3s

https://www.youtube.com/watch?v=X8RMUwzHKEU&t=4s

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia