PUBLICIDADE
IPCA
1,15 Dez.2019
Topo

Ciclo de boom de fusões e aquisições ainda vai durar anos, diz um veterano banqueiro de Wall Street

Jonathan Levin

12/02/2015 18h24

(Bloomberg) - O mais recente ciclo de negócios - 2014 foi o melhor ano para fusões e aquisições desde 2007 - ainda vai durar muitos anos, disse o veterano banqueiro de Wall Street, Ken Moelis.

Moelis, que ajudou empresas como a HJ Heinz Co. e a NYSE Euronext a encontrarem compradores, disse que as fusões e aquisições atravessaram três grandes ciclos desde o início da década de 1980, geralmente separados por intervalos de três a quatro anos. Depois de uma depressão de 2009 a 2012, o último ciclo começou há cerca de 18 meses, disse ele.

O banqueiro, de 56 anos, fundou a Moelis Co. há oito anos e abriu o capital da empresa em abril. Em entrevista por telefone na quarta-feira ele disse que o mais recente ciclo é conduzido pelas iniciativas para reduzir os custos - das despesas gerais aos impostos - a fim de superar a estagnação dos preços ao consumidor e a paralisação das vendas.

"Na minha opinião, o que está acontecendo em termos de fusões e aquisições em todo o mundo é uma tentativa de conseguir o máximo de eficiência possível", disse Moelis. "Este novo ciclo tem a ver com a desinflação, com a deflação e com a relação custo-benefício".

Os ciclos anteriores foram definidos por outras questões, disse ele. Na década de 1980, as empresas estavam arrebatando ativos no setor de matérias-primas. Isso acabou na época da Guerra do Golfo, em 1991, e depois veio a calmaria.

Depois disso, veio um período em que as empresas tentavam crescer a qualquer custo - até que a bolha das ações de tecnologia explodiu. Então, ocorreu de novo outro período de calmaria.

O mais recente ciclo, antes da crise financeira internacional, foi marcado pelo uso arrojado do crédito, disse Moelis. E todos nós sabemos qual foi o resultado.

Título em inglês: M&A Boom Cycle Has Years Left to Run, Veteran Banker Moelis Says

Para entrar em contato com o repórter: Jonathan Levin, no Rio de Janeiro, jlevin20@bloomberg.net

Economia