PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Fabricantes de veículos alemãs estariam abertas a outros investidores em consórcio de mapas

Christoph Rauwald e Elisabeth Behrmann

03/08/2015 14h30

(Bloomberg) -- A BMW AG, a Audi AG e a Daimler AG pretendem convidar outros investidores a se unirem ao consórcio do ramo de mapeamentos que elas formaram para competir com a Google Inc., disseram fontes informadas sobre o assunto.

É improvável que sejam acrescentados novos parceiros depois que a aquisição de 2,8 bilhões de euros (US$ 3,1 bilhões) for fechada com a Nokia Oyj, no primeiro trimestre de 2016, disseram as fontes, que pediram anonimato porque as negociações são privadas. Negociações preliminares têm sido mantidas com pares como a General Motors Co., que sinalizou a disposição de estudar juntar-se ao grupo, segundo uma das fontes.

Contar com mais intervenientes na unidade de mapas HERE implica em mais veículos eventualmente alimentando a plataforma com dados sobre as condições das estradas e acidentes. Ter mais parceiros também aumentaria a complexidade do que já é uma aquisição conjunta inédita de empresas alemãs.

"Quando os carros começarem a gerar dados e a entregar dados a um grupo de empresas, será melhor ter um grupo maior", disse Frank Biller, analista da LBBW em Stuttgart, na Alemanha. "Eu vejo mais oportunidade do que risco nesse exemplo. O maior risco, na minha opinião, seria se essas empresas tivessem competido para comprar o HERE".

Porta-vozes da Audi, da Daimler e da BMW disseram que as fabricantes estão se concentrando na finalização da aquisição conjunta e não tomaram decisões além desse ponto. Um porta-voz da unidade europeia da GM, a Opel, preferiu não comentar.

As fabricantes de carros influenciarão a direção adotada pelo HERE por meio dos serviços que elas exigem e pagarão as mesmas tarifas dos outros clientes, disse Nikolai Glies, porta-voz da BMW, que tem sede em Munique.

"O HERE continuará sendo um negócio independente com um CEO à parte", disse Glies. "Haverá uma separação clara dos papéis de cliente e de proprietário do negócio".

Suíça dos mapas

O HERE continuará servindo clientes de fora do consórcio, inclusive outras fabricantes de veículos, e também a SAP SE, a Amazon.com Inc., a Microsoft Corp. e consumidores individuais, disse Sean Fernback, presidente da unidade, em um vídeo postado em seu site. A empresa quer ser a "Suíça dos mapas", disse Fernback, referindo-se à neutralidade do país.

As fabricantes de veículos têm um histórico difuso em termos de cooperações pensadas para poupar dinheiro por meio de economias de escala. Apesar de a Daimler, que tem sede em Stuttgart, a Renault SA e a Nissan Motor Co. possuírem uma das alianças de melhor desempenho no setor e a BMW e a Mercedes-Benz, unidade de luxo da Daimler, trabalharem juntas em alguns componentes, outros esforços fracassaram.

A Volkswagen AG, empresa-mãe da Audi, e a Suzuki Motor Corp. estão no meio de um processo de arbitragem para desenredar as participações acionárias mútuas de uma parceria fracassada pensada para o compartilhamento de tecnologia e de vendas para o mercado emergente. A GM, com sede em Detroit, vendeu uma participação de 7 por cento na PSA Peugeot Citroën, com sede em Paris, no final de 2013, menos de dois anos após comprá-la, porque a economia advinda do trabalho conjunto não cumpriu as expectativas, embora as empresas ainda cooperem de certa forma em logística, na aquisição de peças e nas plataformas tecnológicas.

Em 2014, aproximadamente 17 milhões de veículos foram produzidos com sistemas de navegação já instalados, um número que poderá subir para mais de 25 milhões até 2021, segundo a IHS Automotive.

A receita do HERE com licenciamento de mapas automotivos provavelmente subirá para mais de 600 milhões de euros neste ano, o que se compara com os cerca de 64 milhões de euros da concorrente TomTom NV, segundo a IHS. Mas a TomTom ganhou algum terreno recentemente com duas grandes encomendas, da Volkswagen e da Peugeot.

É "importante garantir a livre disponibilidade dos dados", disse o chefe de pesquisa e desenvolvimento da Audi, Ulrich Hackenberg, em maio, acrescentando que a unidade da Volkswagen está aberta à entrada de outras fabricantes de veículos no negócio.

Título em inglês: German Carmakers Said Open to Other Investors in Map Consortium

Para entrar em contato com os repórteres: Christoph Rauwald, em Frankfurt, crauwald@bloomberg.net; Elisabeth Behrmann, em Munique, ebehrmann1@bloomberg.net.

Economia