McLaren persegue Ferrari com alta nas vendas e mais engenheiros

Benjamin Katz

(Bloomberg) -- A McLaren Automotive Ltd., a equipe de corrida da Fórmula 1 que se transformou em fabricante de supercarros, aumentou as vendas de seus automóveis com velocidade máxima de 200 milhas por hora (321 km/h) pelo quinto ano seguido e planeja aumentar sua equipe de engenheiros em 40 por cento para fazer frente a um grupo de concorrentes mais consolidadas liderado pela Ferrari NV.

A empresa britânica vendeu 1.653 carros em 2015, impulsionada pela linha Sports Series, lançada em abril e anunciada como "a forma mais acessível de ter um McLaren", com um preço inicial de 126.000 libras (US$ 180.000). A versão 570S com motor twin turbo de 3,8 litros pode chegar a 100 milhas por hora (160 km/h) em 6,3 segundos.

Cerca de 250 contratados, a maioria na linha de montagem, ajudarão a aumentar a produção para 20 carros por dia até meados deste ano, contra 14 atualmente, disse a McLaren na quinta-feira. A empresa, que tem sede em Woking, na Inglaterra, somou mais 12 concessionárias no ano passado, com lojas em Houston, na Cidade do México e em Seul, elevando o total a 80 em 30 mercados.

A McLaren, que iniciou em 2010 a transição para fabricar em volume no intuito de aproveitar seu sucesso nas pistas de corrida, está acelerando a produção justamente no momento em que a Ferrari -- a única equipe da F1 que possui mais campeonatos -- se torna uma empresa independente após se separar da Fiat Chrysler Automobiles NV. A empresa italiana, cujas ações começaram a ser negociadas em Milão na segunda-feira, disse em outubro que esperava vender cerca de 7.700 carros em 2015.

Meta de produção

"O lançamento do novo Sports Series é uma mudança de ritmo", disse o CEO da McLaren, Mike Flewitt, em um comunicado. "Ele abre a empresa a novos mercados, a novos clientes e, consequentemente, a novos volumes de vendas". A empresa do Reino Unido visa a aumentar a produção para 4.000 carros ao ano já em 2017.

A McLaren lançou uma estrutura de produtos de três níveis no ano passado: Sports Series, com o 540C e o 570S; Super Series, de preço médio, com o 650S e o 675LT; e Ultimate Series, de ponta, com o P1 e o P1 GTR, um carro de corrida de 2 milhões de libras lançado no Salão do Automóvel de Genebra, em março.

A fabricação do 12C, primeiro carro de produção da McLaren desde o F1, que teve uma série de pouco mais de 100 veículos e foi o automóvel mais caro dos anos 1990, foi interrompida em 2015 com cerca de 3.500 exemplares construídos desde o começo de 2011.

Na Fórmula 1, a McLaren ficou em nono lugar no mundial de construtores de 2015, sua pior pontuação final desde os anos 1980.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos