Hotéis luxuosos de Londres têm pior ano desde 2009

Dalia Fahmy

(Bloomberg) -- Diversos motivos de preocupação, como o risco de terrorismo e a incerteza quanto à participação britânica na União Europeia, afetam os hotéis luxuosos de Londres porque os viajantes mais ricos do mundo estão evitando a cidade.

A ocupação nos hotéis mais caros de Londres foi de apenas 65% nos três meses até março, de acordo com a fornecedora de dados STR. Nível foi o mais baixo para um primeiro trimestre desde que a recessão mundial sacudiu o mercado em 2009, menor que os 70% registrados no ano anterior. Entre os melhores hotéis de Londres estão o Savoy e o Lanesborough, que reabriu recentemente. Sua Royal Suite, complementada por um Rolls-Royce com chofer, custa cerca de 25.000 libras (US$ 36.000) por noite.

Embora a demanda por opções de hospedagem mais baratas também esteja caindo, os hotéis luxuosos são os mais afetados porque os turistas abastados e os clientes corporativos são mais sensíveis à turbulência política. Os ataques terroristas em Bruxelas e em Paris, o risco de que o Reino Unido decida abandonar a UE em um referendo e a crise econômica na Rússia contribuíram para a deterioração do mercado, junto com a incerteza sobre o resultado da eleição presidencial dos EUA.

"Muitos dos mercados de origem estão sob pressão devido a questões que estão fora do controle do setor hoteleiro de Londres", disse Andreas Scriven, consultor hoteleiro da Christie. Um número maior de ricos da Rússia está tirando férias no próprio país e os americanos viajam menos em ano de eleição, disse ele.

Preocupações com a segurança

Bob van den Oord, diretor administrativo do hotel Langham, na Regent Street, atribui seu desempenho, inferior ao esperado, às preocupações com a segurança na Europa. "As pessoas estão ansiosas por causa do terrorismo", disse ele. A diária no hotel custa a partir de 300 libras.

Há ofertas em excesso no segmento de luxo, disse Scriven. Um novo hotel InterContinental perto da Arena 02, na zona norte de Greenwich, e a reforma do hotel Lanesborough, em Knightsbridge, adicionaram mais de 540 quartos nos últimos 12 meses.

A incerteza antes do referendo do Reino Unido, marcado para o dia 23 de junho, está fazendo com que viajantes corporativos adiem investimentos, de acordo com Russell Kett, presidente do conselho do escritório da HVS, empresa de consultoria hoteleira, em Londres. O Reino Unido teve seu pior trimestre para os negócios desde 2010, mostram dados compilados pela Bloomberg. Os gastos de fusões e aquisições feitos em ou por empresas do país durante o primeiro trimestre caíram 39% em comparação com o ano anterior, e essa desaceleração deverá continuar até junho.

A queda da taxa de ocupação está afetando a receita dos hotéis luxuosos, reduzindo a renda por quarto disponível em 6,5% para o valor mais baixo para um primeiro trimestre nos últimos três anos, de acordo com a STR. No entanto, a média das diárias se manteve porque os administradores do setor preferiram perder negócios a começar uma espiral descendente de preços.

Menos russos

A elite russa está passando mais tempo em seu país natal porque a desvalorização do rublo reduz seu poder de compra e o presidente Vladimir Putin pediu que os russos viajassem pelo país e ajudassem a economia, que está enfrentando dificuldades. O número de vistos do Reino Unido concedidos a russos caiu 38% no ano passado.

"A queda do número de visitantes russos é apenas uma das questões que os hotéis luxuosos de Londres estão enfrentando", disse Kett. "Somando tudo, isso se torna um problema".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos