Analistas veem queda de moedas asiáticas diante de Fed, China

Lilian Karunungan

(Bloomberg) -- A alta das moedas asiáticas em relação ao menor valor em sete anos, registrado em janeiro, não convenceu os estrategistas de que essa nova força será duradoura.

Todas as moedas da região perderão valor até o final do ano, sendo que as de Cingapura, Taiwan e Coreia do Sul têm previsão de queda de pelo menos 3 por cento, mostram pesquisas compiladas pela Bloomberg. O custo de hedge contra prejuízos subiu por sete dias seguidos, maior sequência em um ano. A desaceleração econômica da China e a inclinação do Federal Reserve por avaliar a elevação das taxas de juros dos EUA irão acelerar os declínios, segundo a Standard Life Investments e o Société Générale.

"Ainda estamos um pouco tensos em relação à perspectiva para as moedas asiáticas", disse Ken Dickson, diretor de investimento para moedas da Standard Life, que administra US$ 372 bilhões, em Edimburgo. "A economia da China continuará tendo desempenho abaixo do esperado. No momento, o Federal Reserve nos diz que prevê um adiamento dos aumentos às taxas de juros, não um cancelamento".

O índice Bloomberg-JPMorgan Asia Dollar chegou a subir 4,4 por cento da mínima, em janeiro, à máxima deste ano, em abril, porque os traders retiraram as apostas em taxas de juros mais altas nos EUA. O indicador, que monitora 10 moedas asiáticas, incluindo o yuan chinês, a rúpia indiana e o won sul-coreano, queimou cerca de metade desses ganhos e agora mostra pouca alteração neste ano, após uma queda de 5,6 por cento em 2015 em meio aos sinais de desaceleração na China.

Obstáculos crescentes

Os analistas dizem que há um limite para o desafio das moedas asiáticas à gravidade. Independentemente da saúde de suas economias domésticas, a direção delas a longo prazo sempre será determinada por países maiores, como EUA e China. Os obstáculos estão crescendo em um momento em que se projeta que o dólar será impulsionado pelas taxas de juros mais elevadas e a desaceleração da economia chinesa pesa sobre a demanda por exportações asiáticas.

"Os medos deflacionários, os problemas de competitividade e as perspectivas de crescimento de longo prazo mais fracas na China sugerem uma política monetária mais flexível nos países próximos", disse Dickson, da Standard Life. "Para boa parte da Ásia, a taxa de câmbio é a principal expressão dessa postura política mais suave". O won e o dólar de Taiwan provavelmente terão os piores desempenhos, segundo ele.

O dólar de Cingapura perderá 3,7 por cento até o final do ano, o de Taiwan cairá 3,3 por cento e o won terá uma depreciação de 3 por cento, segundo projeção de retornos à vista baseada em previsões de analistas compiladas pela Bloomberg.

Os custos de hedge contra prejuízos das moedas asiáticas, uma forma de medir o sentimento de pessimismo com base em taxas de reversão de risco, estão crescendo novamente após atingirem o menor patamar em 21 meses no início deste mês.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos