Bolsas

Câmbio

Apostas na queda do petróleo aumentam com excesso de oferta

Mark Shenk

(Bloomberg) -- Os gestores de recursos nunca tiveram tanta certeza de que os preços do petróleo vão cair.

Eles realizaram o maior aumento da história das apostas na queda do petróleo depois que os estoques atingiram os níveis sazonais mais altos em pelo menos duas décadas, empurrando os preços para um bear market. A oferta excedente castigou os resultados da Exxon Mobil e da Chevron no segundo trimestre. Os estoques estão perto do nível mais alto em 97 anos, atingido em abril, porque as petroleiras ampliaram o número de sondas pela quinta semana consecutiva.

"O aumento da oferta adicionará mais pressão de queda", disse Michael Corcelli, diretor de investimento do hedge fund Alexander Alternative Capital, com sede em Miami. "Levará muito tempo para que consigamos drenar o excesso".

Os hedge funds elevaram suas posições vendidas para o petróleo West Texas Intermediate em um total combinado de 38.897 futuros e opções no período de uma semana que terminou em 26 de julho, segundo a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA (CFTC, na sigla em inglês). Foi o maior aumento nos dados desde 2006. O WTI caiu 3,9 por cento na semana do relatório, para US$ 42,92 o barril, e era negociado a US$ 41,19 às 8h23.

O WTI caiu 14 por cento em julho, maior declínio mensal em um ano. Acumula baixa de 19 por cento desde o princípio de junho, o que o deixa perto da queda de 20 por cento que caracterizaria um bear market.

A oferta de petróleo dos EUA subiu 1,67 milhão de barris, para 521,1 milhões, no período de uma semana que terminou em 22 de julho, segundo dados da Administração de Informação de Energia dos EUA. Os estoques atingiram 543,4 milhões de barris na semana que terminou em 29 de abril, maior nível desde 1929. Os estoques de gasolina cresceram pela terceira semana seguida, para 241,5 milhões de barris, maior total desde abril.

"O fluxo é solidamente pessimista", disse Tim Evans, analista de energia do Citi Futures Perspective em Nova York. "Isto reflete o reconhecimento de que o mercado está, pelo menos por enquanto, com excesso de oferta".

A Exxon e a Chevron não cumpriram as estimativas para os resultados e a produção no trimestre passado, mostraram dados sobre os resultados em 29 de julho. As maiores empresas americanas do setor de energia seguiram o exemplo da Royal Dutch Shell e da BP ao divulgar resultados mais baixos porque o colapso do petróleo continuou pesando sobre o setor.

As petroleiras dos EUA ampliaram em 58 o número de sondas ativas desde o início de junho, para 374, três delas adicionadas na semana passada, informou a Baker Hughes em 29 de julho. As produtoras americanas expandiram as perfurações nas últimas semanas após deixarem mais de 1.000 sondas de petróleo ociosas desde o início do ano passado.

A posição vendida dos gestores de recursos no WTI subiu 28 por cento, para 180.134 futuros e opções, mostram dados da CFTC. As apostas na alta dos preços aumentaram 0,9 por cento, enquanto as posições líquidas compradas caíram 23 por cento, atingindo o menor nível desde fevereiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos