China deve flexibilizar restrições a smartphones nos voos

Crystal Tse

(Bloomberg) -- Milhões de passageiros de avião da China poderão ver seu desejo virar realidade em breve: as autoridades avaliam cancelar as restrições ao uso de telefones celulares nos aviões, abrindo caminho para uma maior conectividade nos voos, atualmente disponível apenas em mercados desenvolvidos.

Uma legislação pensada para alterar as regras que limitam o uso de aparelhos eletrônicos a bordo está em trâmite e as normas serão flexibilizadas até o fim deste ano ou o início de 2017, disse Zhu Tao, diretor da divisão de transporte aéreo da Administração da Aviação Civil da China, em entrevista.

As mudanças surgem após revisões dos padrões de segurança emitidas há cerca de três anos pelos órgãos reguladores dos EUA e da Europa.

Se aprovada, a alteração permitirá que os passageiros surfem na internet, utilizem aplicativos como o WeChat e comprem on-line em altitudes de cruzeiro usando smartphones, o aparelho preferido para navegação web no país mais populoso do mundo.

Para as cerca de 50 empresas aéreas chinesas que brigam por uma fatia do segundo maior mercado de viagens aéreas do mundo, a alteração oferece oportunidades no ramo de comércio eletrônico em um momento em que elas exploram o poder de compra dos novos ricos do país durante suas viagens aéreas.

O mercado global de comércio eletrônico em voo deverá atingir US$ 1,7 bilhão em 2020, contra US$ 1,4 bilhão em 2015, segundo a Frost & Sullivan. A China Eastern Airlines e a Spring Airlines já estão se preparando para isso.

Retorno positivo

"Sob uma perspectiva comercial, definitivamente esperamos que haja uma inovação na revisão da política", disse Zhang Chi, vice-diretor da China Eastern, a segunda maior aérea do país em número de passageiros. "Embora eu permita que os passageiros naveguem na internet gratuitamente, eu posso ao mesmo tempo lucrar com os anúncios e com compras a bordo. Haverá um retorno muito positivo".

Pelas regras da aviação civil chinesa, as empresas aéreas no momento pedem que os telefones celulares sejam desligados por motivos de segurança. Contudo, muitas delas permitem o uso de outros aparelhos eletrônicos, como tablets, que não interferem nos sinais de rádio do voo.

Essas regras estão mudando em todo o mundo, em parte devido aos avanços da tecnologia e à preferência dos usuários pela conveniência dos smartphones. Em junho, 656 milhões de usuários da China, ou 92,5 por cento de todos os usuários de internet, usaram telefones celulares para navegar na internet, segundo um relatório publicado pelo Centro de Informação da Rede de Internet da China em julho.

Muitas empresas aéreas chinesas oferecem wi-fi a bordo a um número limitado de passageiros em alguns de seus voos, mas o serviço ainda não está amplamente disponível.

Um relatório da Routehappy, uma empresa que monitora comodidades das empresas aéreas, mostra que 78 por cento das aéreas dos EUA oferecem algum tipo de conectividade. A fatia contrasta com a de 23 por cento da China, segundo a VariFlight, empresa local de estatísticas de aviação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos