Bolsas

Câmbio

Mais de um ano de queda nas exportações de relógios suíços

Corinne Gretler

(Bloomberg) -- As exportações de relógios suíços caíram pelo 13º mês consecutivo em julho. Hong Kong, normalmente o maior mercado de relógios de luxo, escorregou para o segundo lugar pela primeira vez em quase uma década.

As exportações diminuíram 14 por cento, para 1,6 bilhão de francos (US$ 1,7 bilhão), informou a Federação da Indústria de Relógios da Suíça em comunicado divulgado nesta terça-feira. As exportações para Hong Kong recuaram 33 por cento, para 175 milhões de francos.

A queda da demanda na Ásia levou algumas fabricantes de relógios a se concentrarem novamente na expansão nos EUA, que ultrapassou Hong Kong como o maior mercado. A marca Roger Dubuis, da Richemont, cujos relógios custam na média US$ 60.000, abriu a primeira loja em Nova York em novembro e estuda inaugurar lojas em outros locais.

No primeiro mês inteiro após a decisão do eleitorado britânico de deixar a União Europeia, as exportações para o Reino Unido subiram 13 por cento porque a desvalorização da libra esterlina levou turistas a acelerarem a compra de relógios, que ficaram mais baratos. O CEO da Swatch Group, Nick Hayek, disse em julho que a libra desvalorizada deu impulso ao movimento nas lojas.

Além do Reino Unido, a Itália foi o único mercado entre os 10 maiores a registrar crescimento. As exportações para o país subiram 9,9 por cento, o que colocou o mercado italiano em terceiro lugar, à frente do Japão.

Hong Kong foi o principal mercado para os relógios da Suíça desde 2008.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos