Bolsas

Câmbio

Remédio da Celgene contra doença de Crohn surpreende em teste

Doni Bloomfield e Caroline Chen

(Bloomberg) -- O comprimido experimental da Celgene contra a doença de Crohn ajudou mais pacientes do que os analistas esperavam. O novo teste reforça os resultados positivos de um estudo anterior e deve aumentar a confiança dos investidores nas chances de aprovação do medicamento.

Trinta e sete por cento dos pacientes tiveram melhora de 25 por cento ou mais da pontuação que mede a saúde dos intestinos após tomar o remédio, chamado GED-0301, afirmou a Celgene no domingo, em comunicado. Os especialistas esperam que uma parcela de um quarto ou mais dos pacientes apresente essa melhora, segundo Michael Yee, analista da RBC Capital Markets.

Os médicos realizaram uma endoscopia para obter imagens dos aparelhos digestivos de 63 pacientes a fim de verificar se úlceras no cólon e nos intestinos haviam começado a se curar depois que passaram a tomar o remédio. Os dados divulgados no domingo incluíram 52 pacientes com endoscopias que puderam ser avaliadas, segundo o comunicado.

O grupo com mais tempo de tratamento, 12 semanas, apresentou os melhores resultados, com 48% em remissão, afirmou a Celgene. A fabricante de medicamentos também realizou testes em períodos de oito e de quatro semanas.

Embora pequeno, o teste com endoscopia foi acompanhado de perto pelos investidores. O GED-0301 teve resultados notáveis em um teste em estágio intermediário, em que mais de 60% dos pacientes reportaram remissão após a dosagem mais elevada.

Contudo, esse teste se baseou nos sintomas relatados pelos pacientes, sem que seus intestinos tenham sido examinados. No mês passado, a Celgene afirmou que "uma parte" dos pacientes que passaram pelo tratamento apresentou melhoras endoscópicas, mas não revelou números específicos.

O tratamento da Celgene funciona com a promoção de uma proteína no intestino para ajudar a controlar células imunológicas que atacam o sistema digestivo de pacientes com a doença de Crohn. Essa condição afeta mais de 750 mil pessoas nos EUA, causando dores abdominais e, na maioria dos casos, exige cirurgia.

Alguns dos remédios mais vendidos do mundo são usados no tratamento da doença de Crohn, como o Remicade, da Johnson & Johnson, e o Humira, da AbbVie.

Contudo, cerca de um quarto dos pacientes com doença de Crohn não responde a esse tipo de medicamento, conhecido como anti-TNF, o que levou laboratórios como Biogen, Gilead Sciences e Roche Holding a testar novas abordagens para atacar a doença autoimune.

A Celgene pagou US$ 710 milhões à vista em 2014 pela compra dos direitos do GED-0301 da Nogra Pharma, fabricante de remédios de capital fechado com sede em Dublin.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos