Bolsas

Câmbio

Ação contra engenheiro ameaça projeto de carro-robô do Uber

Joel Rosenblatt, Mark Bergen e Eric Newcomer

(Bloomberg) -- Um juiz afirmou estar inclinado a emitir uma liminar contra o Uber que poderá bloquear seu programa de carros autônomos após ser informado que o diretor da empresa não irá depor porque enfrenta uma possível ação criminal pelo suposto roubo de segredos comerciais da Alphabet.

Um advogado de Anthony Levandowski, que deixou a Waymo, uma unidade da Alphabet, no ano passado, e que agora é chefe do projeto de carros autônomos do Uber, disse a um juiz federal de São Francisco na quarta-feira que o engenheiro exercerá os direitos garantidos pela Quinta Emenda da Constituição dos EUA, que protege uma pessoa de se autoincriminar, segundo uma transcrição da audiência judicial, realizada a portas fechadas.

Se Levandowski não ajudar a defender a empresa de caronas compartilhadas da ação judicial aberta pela Waymo, o Uber poderia ficar em desvantagem em um caso que poderá decidir quem controlará uma tecnologia fundamental na corrida para a venda de veículos autônomos. Trata-se de um negócio que ambas as empresas acreditam que valerá centenas de bilhões ou até trilhões de dólares por ano.

O advogado de Levandowski disse ao juiz que o engenheiro não pode ser forçado a revelar os arquivos que a Waymo afirma que ele roubou antes de se demitir da empresa. Em resposta, o juiz distrital dos EUA, William Alsup, alertou o advogado que a menos que Levandowski esteja disposto a negar qualquer irregularidade, há uma "boa chance" de que o pedido de liminar da Waymo para impedir o uso de informação proprietária pelo Uber seja atendido. A Waymo exibiu um "registro" do roubo, disse Alsup.

'Quinta Emenda'

"Se vocês pensam que eu vou me abster porque o funcionário de vocês está usando a Quinta Emenda e deixar de emitir uma liminar para encerrar o que aconteceu aqui, vocês estão errados", disse Alsup.

O juiz posteriormente recuou quando um advogado do Uber afirmou que a empresa pode provar, sem a ajuda de Levandowski, que não usou nenhuma informação roubada da Waymo. Uma audiência sobre o pedido de liminar está marcada para 3 de maio.

O advogado de Levandowski, Miles Ehrlich, disse a Alsup que existe "potencial para ação criminal" contra seu cliente, mas nenhuma intimação pendente. Este normalmente é o primeiro passo de uma investigação criminal.

O Uber e sua unidade de carros-robôs, a Otto, negaram as acusações na ação judicial aberta em fevereiro pela Waymo acusando a empresa de caronas de roubar informação proprietária.

"Estamos ansiosos para dar nossa primeira resposta pública apresentando nossa defesa, na sexta-feira, 7 de abril", disse Angela Padilla, consultora-geral associada do Uber, em comunicado. "Estamos muito confiantes de que as acusações da Waymo contra o Uber não têm fundamento e de que Anthony Levandowski não utilizou nenhum arquivo do Google em seu trabalho com a Otto ou com o Uber."

A Waymo preferiu não comentar a transcrição.

Informações do caso: Waymo LLC v. Uber Technologies Inc., 17-00939, U.S. District Court, Northern District of California (San Francisco).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos