John McAfee diz que boom do bitcoin deixará MGT no azul

Lily Katz e Esha Dey

(Bloomberg) -- Sabe quem está pegando carona com o bitcoin?

John McAfee, o pioneiro e polêmico desenvolvedor de softwares antivírus, que assumiu o posto de CEO da MGT Capital Investments no ano passado e transformou a empresa de videogames em uma firma de segurança virtual. Ele espera que a companhia deficitária se torne lucrativa ao acelerar seu negócio de mineração de bitcoins, com o objetivo de se tornar a maior empresa do mundo no segmento.

"Com certeza seremos rentáveis até o fim do ano", disse McAfee, em entrevista por telefone, na quarta-feira. "Com a mineração de bitcoins, nós conseguiremos experiência e conhecimento para aplicar blockchain nos nossos produtos de segurança."

A MGT Capital anunciou em junho passado os planos para a primeira fase de sua operação com bitcoins, que foi o único motor de receita da companhia no primeiro trimestre. A operação fica em uma região montanhosa do estado de Washington e emprega duas pessoas, cujo principal trabalho é manter o sistema de ar-condicionado para os computadores que realizam a mineração, disse McAfee. A MGT Capital tem uma dúzia de funcionários.

O empreendimento de bitcoins gerou US$ 312.000 em receitas no período de três meses que terminou em 31 de março de 2017, segundo declaração ao governo. A empresa teve um prejuízo líquido de US$ 5,89 milhões.

A MGT Capital informou na segunda-feira que recebeu financiamento para a compra de 1.000 computadores para mineração da empresa chinesa Bitmain Technologies, elevando o total a cerca de 1.300. A empresa espera começar a gerar 225 bitcoins por mês, contra cerca de 100, número revelado mais recentemente. A moeda criptografada está avaliada atualmente em cerca de US$ 2.700 a unidade.

Céticos alertam que uma bolha está se formando. O bitcoin e outras moedas digitais, como a ethereum, têm se valorizado porque mais empresas estão adotando a tecnologia de base e porque alguns investidores buscam refúgio financeiro contra incertezas políticas de todo o planeta. A MGT Capital se dedica principalmente à mineração de bitcoin, mas também tem operações de pequena escala com ethereum e monero, disse McAfee.

"Não importa o quanto governos e órgãos reguladores gritam e reclamam, existirá uma moeda alternativa padrão no mundo", disse McAfee. "Parece que essa moeda será o bitcoin. Não existe a possibilidade de que seja uma bolha."

As transações em bitcoins são supervisionadas por uma rede formada pelos chamados mineiros, cujos computadores realizam cálculos para validar cada transferência, evitando gastos duplos. Os mineiros ganham uma recompensa na forma de bitcoins recentemente emitidos. O ritmo de criação é limitado e nunca serão emitidos mais que 21 milhões de bitcoins.

A MGT Capital chamou a atenção dos investidores no ano passado após a contratação de McAfee como CEO. A notícia fez com que as ações disparassem, mas a euforia logo perdeu força porque a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês) intimou a companhia e a ação foi retirada da Bolsa de Valores de Nova York. A companhia atualmente está envolvida em uma ação judicial com a Intel pelo uso do nome McAfee. A Intel comprou a empresa de segurança de computadores McAfee em 2011, mas recentemente vendeu sua participação majoritária. McAfee, que quer mudar o nome da MGT Capital para John McAfee Global Technologies, processou a Intel pelo direito de usar seu nome.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos