Homem-Aranha vai tentar tirar Sony de apuros

Anousha Sakoui e Reade Pickert

(Bloomberg) -- O presidente do conselho da Sony Pictures, Tom Rothman, minimiza as projeções de que o novo "Homem-Aranha" vai estrear com vendas de US$ 100 milhões ou mais neste fim de semana. No entanto, essa projeção precisa se concretizar.

A unidade da Sony com sede em Culver City, Califórnia, está em sétimo lugar na bilheteria, uma posição humilde que o estúdio não ocupava desde 2000. E "Homem-Aranha: De Volta ao Lar", o sexto filme da Sony sobre este super-herói da Marvel, é a melhor oportunidade para que a empresa crie um sucesso estrondoso e abra caminho para os filmes de ação programados para 2019.

"É tão importante quanto qualquer outro filme que eles lançaram nos últimos 10 anos", disse Jeff Bock, analista sênior de bilheteria da Exhibitor Relations. "É a última franquia grande que eles têm."

Após começar 2017 com uma baixa contábil de US$ 1 bilhão e com a saída de Michael Lynton, que comandava os negócios de cinema, televisão e música nos EUA da empresa com sede em Tóquio, a unidade de entretenimento da Sony precisa começar a produzir filmes de sucesso novamente. A refilmagem de "Caça-Fantasmas" do ano passado foi um fracasso seguido por outras decepções, como "Passageiros", com um elenco repleto de estrelas. Rothman, 62, assumiu o cargo há mais de dois anos, depois que um escândalo de hacking derrubou a antiga diretora do estúdio, Amy Pascal.

"Homem-Aranha: De Volta ao Lar" é uma chance de voltar ao rumo certo. O filme estrelado por Tom Holland, de 21 anos, pode estrear com vendas de US$ 122 milhões na América do Norte neste fim de semana, disseram analistas no BoxOfficePro.com. A Sony oferece uma projeção mais conservadora, US$ 80 milhões.

Rothman, que foi da 20th Century Fox para a Sony, tem motivos para ser cauteloso. Muitas das séries famosas dos estúdios não conseguiram atender às expectativas neste ano e o público dos EUA dá sinais de ter cansado das sequências de super-heróis. Embora o "Homem-Aranha" tenha sido um dos personagens de filmes mais populares do mundo dos quadrinhos, os filmes mais recentes não ficaram à altura dos primeiros.

O primeiro "Homem-Aranha", de 2002, estrelado por Tobey Maguire e dirigido por Sam Raimi, foi um sucesso absoluto que recebeu críticas positivas e registrou vendas globais de US$ 822 milhões com um orçamento de produção de US$ 139 milhões, de acordo com o Box Office Mojo. O último filme, de 2014 ? o segundo protagonizado por Andrew Garfield ? recebeu críticas díspares, o orçamento havia aumentado para mais de US$ 265 milhões, de acordo com o Hollywood Reporter, e as vendas de ingressos totalizaram US$ 709 milhões.

Papel da Marvel

Para esta versão, a Sony recorreu à Walt Disney e recrutou como produtor o presidente da bem-sucedida divisão Marvel, Kevin Feige. A empresa concordou em envolver o Homem-Aranha em uma história mais ampla da Marvel com vários super-heróis, e a Disney obteve os direitos para usar o personagem em filmes próprios. A Disney conservou os direitos de merchandising e poderá se beneficiar com as vendas de brinquedos ligados ao filme.

Além disso, os custos caíram: o orçamento do novo filme foi de US$ 175 milhões, segundo a Sony.

"Foi administrado como uma produção da Marvel Studios", disse Feige a jornalistas em abril.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos