Alemães estão perdendo o gosto pela carne de porco

Agnieszka de Sousa e Tino Andresen

(Bloomberg) -- O país que deu ao mundo a Bratwurst e os cachorros-quentes está reduzindo o consumo de suas salsichas de porco favoritas e enchendo o prato com mais misturas vegetarianas.

No ano passado, os alemães consumiram a menor quantidade de carne de porco desde pelo menos 2005 e a queda continuará em 2017, de acordo com a Agriculture Market Information (AMI) em Bonn. No maior país produtor e consumidor de suínos da Europa, a demanda por presunto e salsicha caiu por pelo menos três anos consecutivos.

O porco ainda representa mais da metade da carne consumida na maior economia do continente, mas está perdendo participação de mercado para aves e carne bovina e compete com mais opções vegetarianas em mercados e restaurantes. Isso reflete a mudança de comportamento dos alemães, que buscam dietas mais saudáveis e apoiam a produção de alimentos sustentável e favorável ao clima. Além disso, o país recebeu muitos refugiados que não comem carne de porco.

"Embora continue havendo muito apetite por pratos com porco, adaptamos o nosso cardápio", disse Christoph Wagemann, chefe de compras e controle da cervejaria Zum Schluessel, de 167 anos, na cidade antiga de Dusseldorf, que agora serve "chili con soja" vegano além das salsichas de carne tradicionais. "Grupos maiores sempre têm vegetarianos ou veganos."

O porco tem uma longa história na Alemanha, que possui um museu inteiro dedicado ao Currywurst -- uma salsicha barata da época da Guerra Fria que mistura carne com ketchup condimentado. Existem mais de 1.500 variedades regionais de salsichas alemãs e a maioria é feita com carne de porco, de acordo com a Associação Alemã de Açougueiros.

Menos consumo

O consumo total de carne de porco na Alemanha diminuiu 10 por cento desde 2011, para cerca de 2 milhões de toneladas no ano passado, de acordo com dados compilados pela empresa de pesquisa Euromonitor International. No mesmo período, a demanda aumentou na Polônia, na França e na Áustria, países vizinhos.

Em média, cada alemão consumiu cerca de 36,2 quilos de carne de porco no ano passado, menos do que a média de 40,1 quilos em 2011 e a menor quantidade desde que a AMI começou a monitorar os dados. O declínio foi tão agudo que ultrapassa o aumento do consumo de aves e bovinos, o que significa que o consumo geral de carne no país caiu para 60 quilos, o menor desde 2006.

Como os consumidores estão menos apaixonados pela carne de porco, até mesmo fabricantes tradicionais de salsichas estão oferecendo opções vegetarianas. A Ruegenwalder Muehle Carl Mueller, de 183 anos, passou a produzir schnitzels, presuntos e salsichas vegetarianos, como um Leberwurst de proteína de ervilha, produto que normalmente é feito com fígado de porco.

A empresa familiar com sede em Bad Zwischenahn, na Baixa Saxônia, o coração da indústria alemã de suínos, afirma que suas vendas de carne caíram 5 por cento no ano passado. No entanto, os produtos vegetarianos e veganos subiram em um terço e representaram 26 por cento da receita total. No fim da década, as ofertas sem carne devem chegar a 40 por cento, disse uma porta-voz da empresa.

--Com a colaboração de Brian Parkin

Versão em português: Patricia Xavier em Sao Paulo, pbernardino1@bloomberg.net.

Repórteres da matéria original: Agnieszka de Sousa em Londres, atroszkiewic@bloomberg.net, Tino Andresen em Duesseldorf, tandresen1@bloomberg.net.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos