Bolsas

Câmbio

Furacão Harvey não interrompe atividade de usina nuclear nos EUA

Mark Chediak

(Bloomberg) -- Enquanto o furacão Harvey se aproximava deles, os trabalhadores da maior usina nuclear do Texas permaneceram nos controles para que as luzes de 2 milhões de clientes não se apagassem, embora a casa de alguns deles estivesse alagada.

Equipes de funcionários trabalham na usina South Texas Project desde a manhã da sexta-feira. O local fica a 145 quilômetros a sudoeste de Houston e escapou da pior parte da tormenta fatal, mas teve que enfrentar chuvas fortes e inundações em ruas próximas que dificultaram a movimentação das pessoas.

Os técnicos e engenheiros da usina foram organizados em equipes especiais para a tempestade. Eles estão trabalhando em turnos rotativos de 12 horas, lavando a roupa no chuveiro e dormindo em camas dobráveis montadas antes da chegada de Harvey. Durante a tempestade, os dois reatores com cúpula de concreto continuaram operando em plena capacidade e fornecendo eletricidade aos texanos que ainda podem ser atendidos em meio a uma inundação histórica.

"Na verdade, é questão de dormir o suficiente para estar pronto para o próximo turno", disse Bob Tatro, veterano que trabalha na usina há 30 anos e gerencia os turnos de uma das equipes que manteve a usina em funcionamento.

Quando a cantina "Gator Grill" começou a ficar sem comida, os operadores convenceram o gerente de um supermercado local a abrir para reabastecer a despensa, apesar da ordem de evacuação obrigatória. Outra viagem foi feita a uma filial local da Wal-Mart Stores para gastar US$ 2.000 em roupas íntimas, meias limpas e outros itens essenciais para os trabalhadores da usina.

"Uma das coisas que vamos avaliar depois da tempestade é a possibilidade de termos máquinas de lavar na usina", disse Buddy Eller, porta-voz da usina pertencente à NRG Energy, à CPS Energy e à Austin Energy.

Apesar dos 254 mililitros de chuva registrados na segunda-feira, a usina nuclear perto do Golfo do México não foi ameaçada pelas cheias dos afluentes próximos, disse Eller. Os ventos de Harvey nunca atingiram a força de um furacão no local, o que teria obrigado a usina a fechar, disse ele. Não houve alagamentos nas instalações, que ficam perto de uma reserva natural.

Cerca de 250 operadores, engenheiros, trabalhadores de manutenção e outros funcionários de apoio estão trabalhando na usina de 2.700 megawatts desde a chegada da tempestade. Outros trabalhadores chegavam aos poucos para ajudar conforme o clima permitia, e a empresa estava tentando voltar aos níveis normais de pessoal, disse Eller.

Harvey poderia acabar sendo o desastre meteorológico mais caro na história dos EUA. As persistentes chuvas alagaram milhares de casas, paralisaram o centro de energia ao redor de Houston e mataram pelo menos 46 pessoas, segundo o jornal Austin American-Statesman.

O gerente de turnos Kurt Moorefield, 48, disse que sua esposa lhe contou na quarta-feira que a água havia chegado até sua casa, mas não entrou. "Até agora, tudo bem", disse ele, em entrevista por telefone.

--Com a colaboração de Dave Merrill

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos