Bolsas

Câmbio

China e Índia são as melhores apostas ecológicas: Morgan Stanley

Emily Chasan

(Bloomberg) -- Mercados emergentes, como a China e a Índia, podem ser as melhores apostas para investidores que pretendem combater a mudança climática e aumentar os retornos, de acordo com um relatório publicado na quinta-feira.

Se o planeta esquentar 5 graus Celsius, bem acima do limite de 2 graus estabelecido pelo Acordo de Paris, os investidores podem enfrentar US$ 7 trilhões em perdas globais. Mas isso poderia ser atenuado por investimentos destinados a reduzir e remover o carbono da atmosfera, de acordo com um relatório do Institute for Sustainable Investment, do Morgan Stanley, e do The Economist Intelligence Unit.

As economias emergentes, da China a Cuba e Nigéria, apresentam algumas das maiores oportunidades para os investidores, porque estão se tornando centros de inovação em energia não poluente. Essas regiões provavelmente serão afetadas de modo significativo pelo aquecimento do planeta e têm populações cada vez mais experientes em tecnologia, de acordo com o relatório.

"Os países estão em diferentes estágios de desenvolvimento em termos de energia e infraestrutura de eletricidade, por isso suas necessidades podem ser muito diferentes", disse Hilary Irby, codiretora do grupo global de finanças sustentáveis do Morgan Stanley, em entrevista. "Em alguns casos, há países que poderiam conseguir pular a infraestrutura tradicional."

A Nigéria, por exemplo, tem um setor de energia solar em rápido desenvolvimento e projeta que o consumo de energia crescerá quase 14 por cento até 2020. E Cuba, onde o mercado de energia deverá ver um crescimento de dois dígitos nos próximos cinco anos, abriu recentemente um centro de pesquisa e desenvolvimento dedicado à energia renovável. A Índia oferece oportunidades para o transporte não poluente, porque a demanda por veículos deverá dobrar até 2020, de acordo com o relatório. O Bloomberg New Energy Finance projeta que mais de US$ 4 trilhões serão investidos em capacidade de geração de eletricidade renovável na Ásia até 2040.

A energia tende a ser o principal objetivo para mitigar a mudança climática, mas as oportunidades para reduzir as emissões da agricultura são mais altas na China, na Índia e no Brasil, de acordo com o relatório do Morgan Stanley. As maiores oportunidades para reduzir as emissões relativas ao transporte estão nos EUA, China, Índia, Brasil e México.

Mudanças regulatórias também vão desempenhar um papel para determinar quais setores poderão ser aproveitados pelos investidores no combate à mudança climática. Países como a China e a Índia podem ver as fontes renováveis de energia como um caminho para reduzir a pobreza, criar empregos e melhorar a segurança energética e a estabilidade social, de acordo com o relatório.

"A proibição de carros a gás e a diesel anunciada pela China deve mudar o jogo para o setor de energia e o setor automotivo, e as consequências serão amplamente sentidas", disse Irby. "A China não foi o primeiro país a fazer esse anúncio, mas é tão grande que está criando uma oportunidade de mercado nova e significativa por meio de uma decisão política especificamente relacionada à mitigação da mudança climática."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos