ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Google compra startup de tecnologia de som sem fazer alarde

Giles Turner

11/01/2018 10h08

(Bloomberg) -- O Google, unidade da Alphabet, adquiriu sem fazer alarde uma startup britânica que se dedica a uma tecnologia que transforma superfícies, como a tela de um telefone, em alto-falantes.

A Redux desenvolveu uma tecnologia que elimina a necessidade de incluir alto-falantes pequenos em telefones celulares, liberando espaço para baterias ou outros componentes, afirmou a startup com sede em Cambridge, Reino Unido, em seu site agora extinto.

Não está claro quando a Alphabet - através de uma subsidiária do Google com sede na Irlanda - adquiriu a Redux, mas a transferência de ações da companhia controladora da Redux, a NVF Tech, para a gigante dos EUA foi confirmada em 13 de dezembro, de acordo com os registros regulamentares do Reino Unido. A Crunchbase afirmou que a transação aconteceu em agosto.

Um porta-voz do Google não quis comentar sobre o preço de compra nem sobre outros detalhes da aquisição. Financiada por investidores como a Arie Capital, a Redux arrecadou US$ 5 milhões em março de 2017 e concentrou-se em mercados como computação, tecnologia móvel, automóveis e controles industriais. A empresa britânica tinha 178 patentes concedidas, de acordo com seu perfil do LinkedIn.

A Alphabet tem diversos usos potenciais para essa tecnologia. Sua principal divisão do Google começou a vender smartphones próprios em 2016, então os novos profissionais de engenharia da Redux podem ajudar a companhia a desenvolver aparelhos com equipamentos de som melhores. A tecnologia da Redux também pode ser usada para criar feedback háptico - que dá a sensação de toque a uma superfície como uma tela. Na feira de eletrônicos de consumo CES, realizada nesta semana em Las Vegas, o Google está anunciando fortemente seus alto-falantes controlados por voz que competem com o dispositivo Echo, da Amazon.com.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia