ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Jovem que não sabe programar cria jogo do momento na Ásia

Lisa Du, Yuki Furukawa e Yuji Nakamura

09/02/2018 14h02

(Bloomberg) -- Os sapos japoneses estão se espalhando pela Ásia. A boa notícia é que não são uma espécie invasiva, nem real.

O Tabi Kaeru, ou Travel Frog, ficou em primeiro lugar entre os aplicativos de smartphone mais baixados da China por quase duas semanas após o lançamento e ainda está no topo do ranking na China, em Hong Kong, em Taiwan, em Cingapura, na Malásia e no Japão. A ideia do jogo partiu de Mayuko Uemura, uma funcionária de 26 anos da produtora Hit-Point, que nunca escreveu uma linha de código de computador.

O objetivo do jogo é simples: prepare uma comidinha, uma barraca e mais algumas coisinhas para a viagem de seu anfíbio virtual e espere ele voltar dos passeios com fotos e presentes. Se a ideia de acumular comida e bugigangas enquanto espera os animais parece familiar é porque a Hit-Point, com sede em Nagoia, está por trás do jogo de colecionar gatos Neko Atsume e produziu também esse último sucesso. Ambos os títulos têm o mesmo DNA do Tamagotchi, o bichinho virtual da Bandai Namco que virou sensação em todo o mundo nos anos 1990 e no início dos anos 2000.

Uemura disse que se inspirou em sua paixão por viagens e na sensação de esperar a volta de um ente querido de viagem.

"Definitivamente estamos fazendo as pessoas esperarem e às vezes eu me preocupo porque penso: não estamos fazendo as pessoas esperarem demais?", disse ela em entrevista. "Quero criar jogos que os jogadores adorem. Não quero criar jogos que exijam muita concentração."

Na verdade, o título não é nada acelerado. Quando está em sua casa, que parece uma caverna, o sapo desenha ou lê um livro. O jogo é estranhamente tranquilizador. É possível colher trevos no quintal da frente e usá-los para comprar comida, lanternas e qualquer outra coisa que possa ajudar em uma longa caminhada. Depois de vagar por horas ou até mesmo dias, o sapo volta com lembranças e fotos de suas viagens. E é só isso. O objetivo é colecionar mais itens, tanto os que o sapo leva nas viagens quanto os que ele traz de volta.

Apesar de ser disponibilizado apenas em japonês, o jogo foi baixado mais de 30 milhões de vezes desde a estreia, em novembro (a China representa 95 por cento do total), superando até o sucesso "Animal Crossing", da Nintendo, lançado mais ou menos na mesma época, segundo a empresa de pesquisas Sensor Tower. Para efeito de comparação, o Neko Atsume foi baixado 22 milhões de vezes.

O título é especialmente popular entre as mulheres, segundo Daniel Ahmad, analista da Niko Partners. As mulheres representam quase a metade dos jogadores do sucesso Honor of Kings, da Tencent, de US$ 3 bilhões. "Isso mostra que existe uma enorme oportunidade de atingir as jogadoras da China", disse.

Os sapos são considerados um símbolo de sorte e prosperidade na China e em alguns lugares da Ásia, mas a Hit-Point não informa quanto ganhou com o Tabi Kaeru. Além de anúncios que geram receitas, os usuários também podem comprar trevos adicionais como moeda. Há muito potencial; os populares personagens felinos do Neko Atsume atualmente aparecem em brinquedos, livros e até em um filme.

--Com a colaboração de Gao Yuan e Lulu Yilun Chen

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia