ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Jovens acentuam falta de trabalhadores qualificados na Alemanha

Carolynn Look

14/02/2018 12h44

(Bloomberg) -- Os jovens, que já são criticados por tudo, da crença de que merecem um tratamento especial ao consumo excessivo de abacate, podem agora estar contribuindo involuntariamente para a escassez de trabalhadores qualificados na Alemanha.

A taxa de desemprego na maior economia da Europa caiu para pisos recorde nos últimos anos, e ficou cada vez mais difícil para as empresas encontrar pessoal suficiente para acompanhar o aumento da demanda de produção. De acordo com Valerie Holsboer, membro do conselho da Agência Federal do Trabalho do país, parte do problema é que os jovens ficaram excessivamente relaxados em relação a passar da formação acadêmica e profissional para o mundo do trabalho.

Os estágios, que são uma forma comum de treinamento profissional na Alemanha, têm registrado uma aceleração da taxa de abandono nos últimos anos. O mesmo aconteceu com as universidades, onde quase um em cada três estudantes está abandonando seus estudos de bacharel antes da conclusão.

Talvez muitos deles interrompam a capacitação para buscar outras qualificações, mas esse abandono pode atrasar a transição para os empregos profissionais.

"O elevado número de abandono da formação acadêmica e profissional nos últimos anos levou a uma enorme perda de potencial", afirmou Holsboer.

Dito isto, talvez a força do mercado de trabalho da Alemanha esteja contribuindo para a atitude descontraída dos jovens em relação a seus planos. Trata-se de um forte contraste com a situação dos jovens em lugares como o Reino Unido, que têm tido dificuldade para encontrar empregos seguros depois da crise financeira.

"Os jovens hoje estão crescendo em tempos de emprego forte", acrescentou ela. "Isso pode, naturalmente, significar que eles não se sentem obrigados a buscar um estágio ou uma formação profissional depois da escola."

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia