ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

China aplica nova tarifa a US$ 957 mi em sorgo dos EUA

Bloomberg News

17/04/2018 12h01

(Bloomberg) -- A China imporá depósitos antidumping temporários às importações de sorgo dos EUA a partir de quarta-feira, aumentando as tensões comerciais entre as maiores economias do mundo. Os futuros do farelo de soja subiram devido à preocupação de que a oleaginosa possa ser o próximo alvo.

Será aplicado um imposto de 178,6 por cento às importações, informou o Ministério do Comércio da China em decisão preliminar, na terça-feira. A taxa cumpre a legislação local e as regras da Organização Mundial do Comércio, disse Wang Hejun, diretor do departamento de Defesa e Investigação Comercial do ministério, em comunicado.

A China começou a investigar as importações de sorgo dos EUA no início de fevereiro, poucas semanas depois de o presidente dos EUA, Donald Trump, impor tarifas a painéis solares e lavadoras de roupas importados. As tensões entre os países escalaram depois que Trump ordenou a aplicação de impostos ao aço e ao alumínio, com planos de mirar mais produtos da China. O país asiático, maior comprador do sorgo americano, respondeu com suas próprias tarifas e pode aplicar mais futuramente.

"A taxa é bastante alta e alguns compradores podem ter que cancelar carregamentos", disse Li Qiang, analista-chefe da Shanghai JC Intelligence. Um aumento nos preços domésticos do milho desde o fim do ano passado fez as fábricas de ração domésticas aumentarem as compras de grãos dos EUA, disse.

A China importou cerca de 4,8 milhões de toneladas de sorgo dos EUA no ano passado, total avaliado em cerca de US$ 957 milhões, segundo dados da alfândega. As compras nos dois primeiros meses de 2018 foram 11 por cento menores do que no mesmo período do ano anterior.

O farelo de soja para entrega em setembro na Bolsa de Commodities de Dalian subiu 2 por cento, fechando em 3.265 yuans (US$ 520) a tonelada. O contrato mais ativo subiu mais de 2,5 por cento nos últimos 20 minutos de negociação. O pico repentino reflete as tensões no mercado em relação à situação das relações comerciais China-EUA, disse Cao Yanhui, analista da Guosen Futures.

"Os participantes do mercado poderiam traduzir o depósito temporário de sorgo como o início de uma nova rodada de disputas comerciais entre a China e os EUA, o que gera preocupação em relação à soja", disse Monica Tu, analista da Shanghai JC Intelligence. A China é a maior compradora de soja dos EUA.

A China informou no início do mês que planejava aplicar uma tarifa adicional de 25 por cento sobre cerca de US$ 50 bilhões em importações dos EUA, incluindo a soja. A mudança correspondeu à escala das tarifas propostas pelos EUA, anunciadas no dia anterior. Os EUA estão permitindo 60 dias para comentários públicos e não especificaram quando as tarifas entrarão em vigor, deixando uma janela aberta para negociações.

--Com a colaboração de Alfred Cang

Mais Economia