PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Governo dos EUA desencadeia corrida por dados agrícolas

Alan Bjerga, Nick Baker, Megan Durisin e Brian Louis

12/07/2018 15h30

(Bloomberg) -- Esse é o tipo de vantagem que qualquer operador desejaria -- e que as autoridades na verdade esperavam evitar.

No entanto, o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) pode estar abrindo caminho para que alguns traders mais rápidos de Wall Street façam operações com dados de movimento do mercado antes de outros. A agência deixou de lado décadas de precedentes e decidiu publicar seus relatórios direta e exclusivamente na internet, em vez de publicá-los também nos veículos de imprensa credenciados. Embora possa parecer uma decisão democrática, na verdade isso pode preparar o terreno para uma corrida para obter informações em primeira mão, com um único vencedor.

A decisão, anunciada na terça-feira, é o último capítulo de uma saga dos mercados agrícolas, que cada vez mais veem algoritmos de alta velocidade tomando conta de tudo e levando vantagem sobre seus pares humanos mais lentos, assunto popularizado no livro "Flash Boys", de Michael Lewis. Cabos de fibra óptica, rádio de ondas curtas, torres de micro-ondas: tudo isso já foi empregado para acelerar o trading.

"Alguém vai descobrir a forma mais rápida de conseguir informação e operar com ela primeiro", disse Jim Angel, professor de Finanças da Universidade de Georgetown em Washington. "Isso muda o rumo da corrida armamentista."

Demora

Os veículos de imprensa usam linhas de fibra óptica de alta velocidade para transmitir dados aos seus leitores fora do chamado bloqueio (lockup), o período em que os jornalistas têm acesso aos dados com até 90 minutos de antecedência. O USDA demora aproximadamente dois segundos a mais para transmitir seus relatórios ao público, segundo a agência. O USDA citou essa lacuna ao anunciar a mudança de política.

"Todos os que têm interesse nos relatórios do USDA devem ter o mesmo acesso que qualquer outra pessoa", disse o secretário da Agricultura, Sonny Perdue, em uma declaração na terça-feira.

As mudanças ocorrem em um período volátil para o trading agrícola. Os futuros da soja e de suínos despencaram nas últimas semanas porque a China impôs novas tarifas contra produtos agrícolas dos EUA. Os preços dos grãos também caíram em meio à abundância de oferta. A CME Group disse que o volume de operações com futuros e opções agrícolas bateu um recorde histórico com 3,2 milhões de contratos em 19 de junho.

A ironia é que na tentativa de garantir que todos recebam ao mesmo tempo informações sobre commodities capazes de movimentar o mercado, o USDA poderia acabar fazendo o contrário.

Novo processo

Em vez de obter os dados antes, a mídia, incluindo a Bloomberg News, agora só receberá os dados exclusivamente pelo site do USDA, ao mesmo tempo que o público. O processo de lockup é usado por diversas agências governamentais e possibilita uma disseminação que atinge muitos rastreadores de dados simultaneamente.

A mudança entrará em vigência no dia 1º de agosto. Isso pode aumentar a volatilidade dos momentos posteriores à publicação e beneficiará as empresas com os recursos para processar os dados e fazer trading mais rapidamente.

É verdade que não há nada de ilegal em obter dados disponibilizados publicamente primeiro e usá-los para operações bursáteis. E os traders sempre procuraram tirar vantagem. Mas nesta era moderna, uma vantagem pode consistir em obter dados importantes em apenas uma pequena fração de segundo antes dos demais -- até um milionésimo de segundo.

Repórteres da matéria original: Alan Bjerga em Washington, abjerga@bloomberg.net;Nick Baker em Chicago, nbaker7@bloomberg.net;Megan Durisin em Chicago, mdurisin1@bloomberg.net;Brian Louis em Chicago, blouis1@bloomberg.net