PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Seguro contra roubo é nova aposta em faroeste de criptomoedas

Olga Kharif, Brian Louis, Julie Edde e Katherine Chiglinsky

19/07/2018 14h33

(Bloomberg) -- No mundo sóbrio e conservador da subscrição de seguros, poucos querem falar sobre isso. O serviço não é anunciado em muitas propagandas e não há muitos detalhes nos sites das empresas que o oferecem.

Mas, de acordo com pessoas do setor, cada vez mais empresas estão tentando entrar em um novo negócio: o seguro de criptomoedas.

É compreensível que grandes nomes, como AIG, Chubb e XL Group, não tenham fornecido muitos detalhes. Por outro lado, oferecer cobertura para startups de criptomoedas pode parecer absurdo. O setor tem a merecida reputação de ser como um faroeste - uma zona digital sem regulamentação, onde abundam fraudes e roubos (lembre-se dos ataques à Mt. Gox e, mais recentemente, à Bitfinex e à Coincheck), além de esquemas que oferecem enriquecer rapidamente. A queda de preço registrada pelo bitcoin neste ano também não ajuda.

Mas, como as criptomoedas e sua tecnologia de blockchain subjacente aos poucos começam a conquistar uma aceitação maior, algumas seguradoras aposta que conseguirão escapar das armadilhas. Os prêmios por assegurar esse risco podem ser substanciais. Há quem diga que os subscritores podem cobrar mais de cinco vezes ou até mais de uma empresa relacionada à criptografia que de uma empresa comum pela cobertura contra perda ou roubo.

'Grande oportunidade'

"O seguro para o armazenamento de criptomoedas será uma grande oportunidade", disse Christian Weishuber, porta-voz da Allianz, que começou a oferecer cobertura individual para roubo de moedas digitais no último ano e é uma das poucas seguradoras que concordaram em falar sobre o assunto. "Os ativos digitais estão se tornando mais relevantes, importantes e predominantes na economia real, e estamos explorando as opções de produtos e cobertura nessa área."

Embora o custo ainda esteja fora do alcance de muitas empresas incipientes, a Marsh & McLennan e a Aon, as duas principais corretoras de seguros que ajudam as empresas a comprar políticas de criptografia, afirmam que os negócios estão em alta neste ano. Pela primeira vez, a Marsh formou uma equipe de 10 pessoas dedicadas a atender startups de blockchain.

A Aon, que afirma ter mais de 50 por cento do mercado de seguro para criptomoedas, recentemente simplificou seu formulário de política padrão para acelerar o processo de subscrição. A companhia também observou que algumas seguradoras ajustaram as políticas gerais da empresa para incluir proteções específicas para criptomoedas.

A Marsh e a Aon preferiram não identificar seus parceiros, mas pessoas familiarizadas com o assunto dizem que mais de uma dúzia de subscritores, incluindo a Chubb e a XL, atualmente oferece cobertura para empresas relacionadas às criptomoedas. A American International Group, que também tem adicionado cobertura de criptomoeda em formulários de política padrão, afirmou que se reuniu com guardiões de criptomoedas e com plataformas de negociação para discutir a cobertura. A empresa não quis informar quanto obteve em prêmios relativos às criptomoedas.

Repórteres da matéria original: Olga Kharif em Portland, okharif@bloomberg.net;Brian Louis em Chicago, blouis1@bloomberg.net;Julie Edde em Londres, jedde2@bloomberg.net;Katherine Chiglinsky em N York, kchiglinsky@bloomberg.net