PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Nasdaq faz evento fechado para discutir controle de criptomoedas

Julie Verhage

27/07/2018 12h52

(Bloomberg) -- O caminho para que as criptomoedas deixem para trás seu passado de transações suspeitas e fraudes é longo, mas a Nasdaq considera que pode ajudar a colocar o setor no rumo da legitimidade.

A empresa organizou no início da semana, em Chicago, um encontro a portas fechadas com representantes de cerca de meia dúzia de empresas, incluindo bolsas tradicionais e também a Gemini e outros mercados de criptomoedas, segundo uma pessoa familiarizada com o evento. O foco do encontro, disse a pessoa, foi incentivar o setor a tomar medidas para melhorar sua imagem e legitimar sua potencial função nos mercados globais.

Um porta-voz da Nasdaq preferiu não comentar, mas confirmou a realização do evento. A Gemini não respondeu a um pedido de comentário.

Entre os assuntos discutidos estavam as implicações da futura regulação das criptomoedas, quais são as ferramentas necessárias e qual vigilância será necessária. A CEO da Nasdaq, Adena Friedman, tem sido clara a respeito da necessidade de regulação, e a empresa dela atualmente está fechando parcerias com diversas bolsas para ajudá-las em várias dessas questões. Neste ano, por exemplo, a Gemini, a bolsa de Cameron e Tyler Winklevoss, contratou a Nasdaq para realizar vigilância de mercado para negociações de bitcoin e ether, e também para o leilão que ajuda a fixar os preços dos contratos futuros do bitcoin na Cboe Global Markets.

"Acredito que com o tempo descobriremos que realmente existe uma utilidade" nas criptomoedas, disse Friedman, em evento da Bloomberg, em junho. A Nasdaq divulgou nesta semana que está fornecendo tecnologia para cinco bolsas de criptomoedas, incluindo a Gemini e a SBI Virtual Currencies. A empresa não identificou as outras três.

Esta não será a última reunião desta natureza, disse a pessoa, acrescentando que haverá um diálogo permanente entre os participantes. Devido ao histórico de iliquidez, roubo e fraude e à falta de serviços de custódia nesse ramo, Wall Street está demorando para entrar nesse âmbito.

Neste ano, por exemplo, a Bloomberg noticiou que o Departamento de Justiça dos EUA havia aberto uma investigação criminal para verificar se traders estão manipulando o preço do bitcoin e de outras moedas digitais.