PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Alimentos da estação já estão indo embora nos EUA, menos café

Kate Krader

31/07/2018 14h48

(Bloomberg) -- O verão está pela metade no Hemisfério Norte e os mercados são uma profusão de frutas com e sem caroço e tomates.

Mas não se deixe enganar.

Os alimentos da estação estão saindo de cena silenciosamente. Nos últimos anos, os ingredientes mais populares decididamente vêm sendo itens de inverno, como beterraba, couve e couve-flor, onipresentes nos cardápios dos restaurantes e nos mercados, independentemente da época do ano. (Não se esqueça, o escargot é o ingrediente do momento neste verão). Além disso, com a ascensão das fazendas verticais, há cada vez mais tomates heirloom (crioulos) prontos para ser fatiados no meio do inverno.

Na verdade, o maior sinal culinário do outono não vem mais do departamento hortifrúti. Vem do Starbucks e, claro, é o Pumpkin Spice Latte. A bebida ao mesmo tempo amada e difamada, aromatizada com canela e gengibre, é uma mensagem tão marcante da estação que quando a data de lançamento foi transferida para o início de setembro, houve protestos.

Agora, as empresas de café estão levando a promessa um passo adiante, não com aromatizantes ou mero marketing -- blends de "inverno" ou "de Natal" não são novidade --, mas com grãos da estação. Enquanto a maioria dos consumidores de café vê a data da torrefação como determinante mais importante do frescor do café, há uma escola de pensamento cada vez mais difundida que acredita que a data da colheita merece mais atenção.

Nos EUA, é possível encontrar infusões feitas com grãos colhidos em determinada estação em estabelecimentos regionais como Colectivo Coffee, em Chicago; Qualia Coffee, em Washington; Dogwood Coffee, em Minneapolis; Ruby Coffee Roasters, em Wisconsin; Reanimator Coffee Roasters, na Filadélfia; e Relevator Coffee, com sede em Birmingham, Alabama.

A Counter Culture Coffee, uma empresa de torrefação com sede na Carolina do Norte, nos EUA, que estabeleceu uma presença nacional com cafés selecionados de fornecedor único, está especialmente focada em infusões que mudam com as estações do ano. (Para os obcecados em monitorar as colheitas, esse website tem um calendário e um mapa muito legais).

Agora, a Intelligentsia Coffee, a queridinha de 23 anos de Chicago, da terceira onda do café, também está apostando mais nisso.

Em 2008, a empresa criou um adesivo especial para afixar em bolsas de grãos colhidos em determinados momentos. Os adesivos destacaram algumas ofertas de estação entre os grãos de origem única. "Ele foi inspirado pelo adesivo das frutas frescas. Queríamos invocar sutilmente a lembrança dos clientes sobre esse rótulo", diz James McLaughlin, presidente e CEO.

"O que notamos em nosso laboratório é que o número de dias 'após a colheita' é mais importante do que o número de dias 'após a torrefação'", diz. "Há uma janela de nove meses para embalar e vender. Depois disso, há uma degradação da qualidade. Notam-se notas de envelhecimento."

McLaughlin diz que a empresa registrou crescimento de 10 por cento nas vendas de cafés de estação do primeiro semestre de 2017 para o primeiro semestre de 2018, mas não divulgou os números exatos de venda.