PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Cotações

Joias da coroa podem ajudar Tesla a conseguir dinheiro

Claire Boston e Natasha Rausch

30/08/2018 13h04

(Bloomberg) -- Agora que a quixotesca proposta de Elon Musk para fechar o capital da Tesla foi aniquilada, o nervosismo sobre quando ele arrecadará mais financiamento voltou a entrar em cena.

Musk pode até continuar dizendo que não precisa levantar mais capital neste ano, mas, para muitos em Wall Street, isso soa improvável. E mesmo se fosse verdade, argumentam, é sempre melhor garantir financiamento enquanto for possível. Quem sabe como estarão os mercados --e, aliás, como eles verão a Tesla-- daqui a um ou dois anos.

Mas qual é o melhor modo de recorrer aos mercados?

Como a demanda pelos títulos da fabricante de veículos elétricos está enfraquecendo, alguns começaram a apontar para o modelo utilizado pela Ford Motor no pior momento de sua crise financeira, há mais de dez anos. A peça central dessa estratégia foi usar ativos, entre eles o emblemático logotipo oval e azul da Ford, como garantia para linhas de crédito baratas.

A insígnia da Ford foi avaliada em US$ 8 bilhões naquela época. A Interbrand estima que, devido à paixão que os motoristas da Tesla sentem por seus carros, o emblema do T talvez já valha metade disso, apesar de ter apenas 15 anos de existência.

"Penhorem esses ativos e guardem isso na manga", disse Hitin Anand, analista da CreditSights. "Acumular liquidez é prudente."

Joias da coroa

Não faltam à Tesla garantias que poderiam ser usadas para obter empréstimos, segundo os analistas, e a empresa provavelmente estudaria outros ativos antes de considerar hipotecar sua marca ou formas de propriedade intelectual.

Algumas joias da coroa são sua fábrica em Fremont, na Califórnia, e sua gigantesca fábrica de baterias no Nevada. Porém contrair mais dívidas traz o risco de alienar os atuais detentores da dívida da empresa, que seriam empurrados para trás na fila de reembolso se a empresa der calote.

O analista da Bloomberg Intelligence Joel Levington estima que US$ 3 bilhões em dívida nova com garantia poderia fazer com que a S&P Global Ratings rebaixe os títulos de grau especulativo para a faixa CCC, após o rebaixamento feito pela Moody's Investors Service neste ano.

Um representante da Tesla encaminhou à Bloomberg comentários feitos anteriormente pela diretoria sobre os planos para aumentar o caixa e quitar dívidas sem captar mais capital.

A decisão da Ford de usar seu logotipo e outros ativos como garantia em 2006 foi uma espécie de último recurso, já que naquela época a empresa estava sem dinheiro e enfrentava prejuízos recorde.

A companhia acabou usando como garantia quase tudo o que tinha --inclusive o estoque, as fábricas, as marcas e uma participação em sua divisão de financiamento para a compra de veículos-- em troca de um pacote de empréstimos de mais de US$ 23 bilhões.

A situação da Tesla não é tão urgente, de acordo com Levington. Contudo, faz sentido que a fabricante arrecade dinheiro agora, disse ele. Uma injeção extra de capital ajudaria a acalmar o receio dos investidores com os balanços de caixa da empresa e lhe daria mais tempo em um momento em que as vendas de automóveis estão caindo.

"Conseguir liquidez agora faz muito sentido", disse Levington. "Em um contexto que está começando a enfraquecer um pouquinho - e talvez esteja prestes a enfraquecer muito - não estar preparados deixa-os em uma posição mais arriscada."

(Com a colaboração de Dana Hull)

PUBLICIDADE

Cotações